sexta-feira, 7 de setembro de 2012

INVEJA UM GRAVE PECADO


INVEJA UM GRAVE PECADO

TEXTO ÁUREO = O coração com saúde é a vida da carne, mas a inveja é a podridão dos ossos” (Pv 14.30).

VERDADE PRÁTICA = O cristão verdadeiro não se deixa levar pela inveja e não age com maldade

LEITURA BIBLICA = I João 2: 09-15

INTRODUÇÃO

O que é inveja? É possível que esse sentimento maléfico seja usado para o bem? Invejar faz parte da condição humana? É algo natural? Responder todas essas perguntas é um desafio e tanto, se alcançado, terá se cumprido mérito “invejável”. Ôpa, olha a inveja ai! É que às vezes falamos dela de forma tão natural que de vilã, ela passa a ser boa moça. Mas de boa, ela não tem nada. Inveja é igual veneno: mata, despedaça, corrói a alma do invejado e do invejoso. Esse terrível pecado acontece por vezes de forma tão sútil que nem costumamos comentá-lo em nossos diários de bom viver. Ministérios entram em guerra por causa da inveja : “Como eles estão crescendo mais que nós”? Homens, mulheres e até crianças são vitimados por esse mal que tão de perto nos ronda.

A INVEJA NO PRINCIPIO DO MUNDO
Desejo de possuir o que outro tem (acompanhado de ódio pelo possuidor) Inveja - assunto considerado por muitos como “sentimento natural do ser humano, que todos têm, sendo, inclusive, benéfico para motivação de conquistas e disputas pessoais. Alguns até dizem que se a inveja for ‘branca’ (moderada) não há problema algum em tê-la.” Todavia, a palavra de Deus, que é nosso orientador e que nos mostra, sobretudo, Sua vontade, nos diz que a inveja é pecado e que trás grandes problemas para saúde emocional (Pv14: 30), além de conseqüências danosas ao relacionamento inter-pessoal.

Inconseqüente: O invejoso torna-se inconseqüente, pois não enxerga suas atitudes como desequilibradas e, ao invés de procurar a solução para seu problema, prefere criticar e hostilizar seu desafeto.

Porque sabia que por inveja o tinham entregado Mt 27:18

Movidos por inveja os fariseus perseguiram e tramaram à morte de Jesus. Eles não se conformavam com a perda de status provocada pelo Nazareno. Desde seu surgimento, os habitantes de Israel, olhavam “atravessado” para os lideres religiosos tão bem vestidos e requisitados.

A verdade é que Jesus havia se tornado muito mais importante que eles e aquilo era demais! Como, um filho de carpinteiro, que sequer estudara as Escrituras, estava chegando tão longe? Ele desmentia todo discurso “engessado” que ritualizava a salvação e exaltava as obras, discurso farisaico. Fariseu, havia se tornado sinônimo de hipócrita, o orgulho dos honoráveis mestres das sinagogas, havia recebido golpe mortal. Inchados de inveja sequer conseguiam dormir tranquilamente: Inveja, inveja era isso que o inimigo havia plantado no coração dos opositores de Jesus.

Por mais normal que possa parecer, sentir inveja é pecado, e pecado; destrói, mata. Se alguém se sente movido por inveja, esse “motorzinho” precisa ser convertido em moinho acionado pelo vento do Espírito Santo. A inveja faz com que anões, pareçam gigantes. Faz com que homens e mulheres capacitados, se entreguem a inércia. Inveja promove contendas, excita o ódio e exalta o furor. Inveja cobiça e ao cobiçar estamos nos mostrando insatisfeitos com o que temos: inveja é murmúrio, não agrada a Deus. Esse mal está presente no homem desde sempre e foi a causa do primeiro homicídio na Bíblia: Caim matou Abel por inveja. Ele não se conformou que a oferta do irmão fosse melhor e mais agradável a Deus que a sua. A priori, o coração de Abel era mal e a inveja morava nele (Gn 4:8). Não deixe a inveja morar em seu coração, expulse-a.“ Não cobiçaras nada do teu próximo” Ex 20: 17

Por inveja mataram Jesus Mt 27:8

A inveja faz com que desejemos ter o que não temos, sem fazer o que os outros fizeram para conseguir. Os fariseus queriam o status de Jesus, mas não se dispunham a renunciar suas condições de vida. Se admiramos alguém – é diferente de invejarmos- procuremos seguir seu exemplo. Não estou falando de perder a identidade para se tornar o outro, mas procurar agir da melhor maneira, para ser o melhor no que se submeter a fazer. Foi isso que Jesus transmitiu aos seus discípulos: “Se alguém quer vir após mim, tome sua cruz e siga-me” . Querem ser meus discípulos? Então façam o que eu lhes digo e o que eu faço. Não é difícil constatar o declínio sofrido pela Igreja nos últimos séculos, um dos fortes motivos para essa queda no padrão de vida cristão é: Não fazer o que Jesus diz, nem o que Ele faz. Pelo contrário: A Igreja inveja o mundo e dá as mãos a um estilo de vida oposto ao cristianismo. O marketing das grandes empresas, invadiu literalmente as instituições eclesiásticas, por que? Eu diria que há inveja nisso tudo.

MALDADE UMA AÇÃO MALIGNA = “Ao que cuida em fazer o mal, mestre de intrigas lhe chamarão" (Provérbios 24:8).

Há pessoas cujo negócio é praticar maldade. Eles cogitam, planejam e tramam maldades. São "inventores de males" (Romanos 1:30).

O ladrão estuda para descobrir um jeito de entrar numa casa despercebido. O assassino cuidadosamente planeja como matar alguém sem deixar pistas. O caloteiro procura descobrir maneiras para enganar uma pessoa inocente.

O estuprador reflete sobre planos para achar e atacar sua vítima sem ser preso. O batedor de carteiras considera vários ángulos de abordagem para conquistar seu alvo. Grandes mafiosos em prostituição e pornografia utilizam advogados caros para escapar das conseqüências dos seus atos.

"Viu o Senhor que a maldade do homem se havia multiplicando na terra e que era continuamente mau todo desígnio do seu coração" (Gênesis 6:5). A situação geral da época de Noé ainda é o caso de muitas pessoas hoje em dia. Nem todos os pecados são premeditados, mas muitos malfeitores maquinam o mal todo o tempo (Provérbios 6:14).

A INVEJA LEVA A MALDADE = A explicação da maldade humana encontra-se nas Escrituras. A Bíblia diz: “E falou Caim com o seu irmão Abel; e sucedeu que, estando eles no campo, se levantou Caim contra seu irmão e o matou”. Gênesis 4.8. A primeira morte registrada não aconteceu por causa de velhice, doença ou acidente. Trata-se de um assassinato, não entre inimigos, mas dentro de uma mesma família. Irmão contra irmão. Assim como a queda foi a conseqüência da desobediência do ser humano a Deus, o primeiro crime decorreu da desobediência de Caim ao alerta de Deus: “... Se, todavia, procederes mal, eis que o pecado jaz à porta; o seu desejo será contra ti, Mas a ti cumpre dominá-lo”. Gênesis 4.7. Caim deixou o ciúme virar raiva e a raiva, assassinato. Se os homens não olharem para dentro de si e verem que são pecadores, precisando reconciliar-se com Deus, continuarão cometendo todo o tipo de maldade.

Independente de conhecimento ou posição. A Bíblia diz: “Por que do interior do coração dos homens saem os maus pensamentos, os adultérios, as prostituições, os homicídios, os furtos, a avareza, as maldades, o engano, a dissolução, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a loucura. Marcos 4.21,22. Somente entregando nossa vida à Cristo esta triste realidade interna pode ser mudada. A Bíblia diz: “Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é: as coisas velhas passaram já passaram; eis que tudo se fez novo”. 2º Coríntios 5.17. Cristo muda a realidade interna do ser humano, o que se reflete na sua realidade externa.

A INVEJA E SUA CONSEQUÊNCIA

Sendo a inveja um ressentimento aninha­do no coração do homem, conclui-se que o invejoso vive em torturas da sua alma, tendo em si a destruição de alguns bons princípios de vida (SI 73.2,3). A condição de vida do invejoso é marcada por reclamações, por ex­pressões de revoltas visíveis no próprio rosto (Gn 4.5; I Rs. 21.4-7).

É a batalha interna do coração, por não ver seus intentos realizados. A luta continua e outros atos maus vão sendo levados a efeito, até que se consiga o pro­posto. Os meios usados, sejam quais forem, se justificam pelos fins propostos.

A Bíblia nos apresenta inúmeros exem­plos das consequências causadas pela inveja e os seus integrantes. Eis alguns:

a) Abel é assassinado pelo próprio irmão, Caim, que, possuído de inveja, irou-se e, dolosamente, mesmo advertido por Deus (Gn 4.5-8), praticou um crime, tornando-se exem­plo negativo para todas as gerações (Hb 11.4; I Jo 3.12 e Jd 11);

b) Isaque é expulso de Gerar por ter se enriquecido (Gn 26.12-17);

c) Os irmãos de José tentam matá-lo e de­pois o vendem (Gn 37.11,20; 26-28; At 7.9);

d) Nabote é julgado e assassinado, sem ter o direito de defesa (I Rs 21.1 -16);

e) O próprio Cristo foi entregue pelos in­vejosos líderes religiosos (Mt 27.18);

f) Os apóstolos sofreram também, da mes­ma classe de pessoas, perseguições (At 5.17,18; 13.45).

A inveja conduz o ser humano a um miserável estado de vítima, impedindo-o de repa­rar suas próprias deficiências, corrigindo-as e se tornando capaz de conseguir, por meios lícitos, as mesmas condições de vida. O invejoso é governado por diretrizes por ele elaboradas, e não sob as normas divinas, pois de Deus está alienado. Da sua lingua­gem e modo de vida, a prática da Lei Áurea estabelecida por Deus, registrada em Deuteronômio 6.5, Levítico 19.18 e Mateus 22.37-39, não faz parte, pois para ele Deus e o próximo não existem. Mas a pior conseqüência é a eterna, pois Paulo afirma: "São passíveis de morte os que tais coisas praticam" (v. 32).

NA VIDA DOS IRMÃOS DE JOSÉ = Com muita freqüência, surgem inveja e ciúmes entre aqueles com quem somos muito íntimos, e isso torna ainda mais devastador o potencial para graves consequências. Realmente, uma grande quantidade de agressões (físicas ou psicológicas) e inveja existe hoje dentro do círculo familiar e, freqüentemente, na raiz desse problema está a rivalidade entre os membros da família.

Pense na história de José. Que atitude de seus irmãos os levou a cometer esse crime tão grave? Qual foi o papel da inveja? Gn 37:1-36

É difícil acreditar que esses irmãos pudessem ter sido tão cruéis. Eles também não pensaram no que suas ações fariam a seu pai. Sua inveja se tornou tão poderosa que prevaleceu não apenas sobre o bom senso, mas também sobre a decência e moralidade.

Que lição poderosa deve ser para todos nós quanto ao perigo potencial dessa emoção! Não é de estranhar que haja um mandamento inteiro dedicado a nos advertir contra ela (veja Êx 20:17).

Além de toda a dor que suas ações provocaram sobre si mesmos e sobre seu pai, eles também temeram o que José lhes faria depois da morte de seu pai, Jacó (Gn 50:15).

Mas a atitude de José não podia ter sido mais nobre, pois ele disse: “Não tenham medo. Estaria eu no lugar de Deus?” (v. 19). José entendeu que seu dever era perdoar os ofensores e confiar na misericórdia e justiça de Deus.

A vida de José tem sido comparada com a vida de Jesus Cristo. A inveja moveu seus irmãos a vendê-lo como escravo; alguns sacerdotes e anciãos tinham inveja de Jesus, e essa inveja alimentou suas ações contra Ele. José foi vendido aos pagãos; Jesus foi vendido a Seus inimigos. José foi acusado falsamente e enviado para a prisão por causa de sua virtude; Jesus foi acusado falsamente e rejeitado por causa de Sua justiça. José demonstrou nobre benevolência para com seus irmãos; Jesus, também, perdoou Seus inimigos. As más ações contra José, por fim, levaram para o bem; a mesma coisa aconteceu a Jesus, no sentido de que o mal feito contra Ele foi igualmente transformado em bem.

Que dor e sofrimento a inveja e os ciúmes – seus ou de outra pessoa — provocaram à sua vida? Que lições você aprendeu dessas experiências? Com que freqüência você também sentiu inveja a respeito de coisas que hoje parecem triviais e sem sentido? Que lição você deve aprender desses fatos?

NA VIDA DO CRENTE = “Uma cousa peço ao Senhor, e a buscarei: que eu possa morar na casa do Senhor todos os dias da minha vida para contemplar a beleza do Senhor e aprender no seu templo”. Salmos 27:4

O texto acima está indicando que a igreja, o templo, é lugar de aprendizado. Mas a palavra “casa” significa eternidade. O templo, o lugar construído, e a escola preparatória do cristão, para que ele aprenda a viver com o Senhor, quando chegar na eternidade.

O que é inveja? Inveja é um misto de ódio, desgosto e pesar pelo bem e felicidade de outrem; é o desejo violento de possuir o bem alheio; é a invejar a prosperidade e a alegria de outra pessoa, porque ela possui algo que não possuímos (Dicionário Aurélio). Isto já é algo para atrapalhar na jornada cristã. Devemos fazer uso da arma mais importante par combatê-la, que é a oração, a fim de que a inveja não faça parte do nosso coração. Não queremos ser invejosos.

Qual é o tempo ou época em que a inveja se manifesta? Será numa determinada parte do ano? Será que a inveja ataca somente os pobres, que possuem pouca coisa? Ou só os ricos que querem cada vez mais? Todos nós vivemos sob a possibilidade de sermos atacados pela inveja. Daí, a grande necessidade da oração de entrega a Deus, para que Ele nos dê autoridade para expulsar a inveja quando ela se manifestar.

A inveja pode se manifestar a qualquer hora e em todo lugar. Na família, quando um irmão tem emprego melhor; quando uma irmã é feliz no casamento e a outra sofre com o marido; pode ser por causa do cabelo “cheio ou ralo”.

A inveja pode se manifestar a qualquer hora, muitas vezes por motivos fúteis. Os bens materiais são motivos de intensas manifestações de inveja por parte daquele que não foi contemplado com riquezas.

Outra área em que a inveja se torna notória é com respeito à graça natural.

Há pessoas que possuem capacidade para fazer amigos, para se expressar com facilidade, porque são dotados de individualidade excepcional. É o que chamamos de carisma pessoal.Essa capacidade de se sobressair e de liderança provoca inveja nos outros. Orientamos sempre a muitos, para que não contem suas vitórias para qualquer pessoas. O sucesso desperta a manifestação da inveja em pessoas de índole fraca e egoísta.

Sabemos pela Palavra de Deus que o Diabo só pode agir contra você quando ele ouve suas palavras de vitória ou de derrota. Ele não pode penetrar no seu pensamento, porque não é onisciente, ou seja ele não sabe todas as coisas. A Palavra de Deus nos diz: “ Põe guarda, Senhor, à minha boca; vigia a porta dos meus lábios” (Sl 141:3).

Diante do exposto, chegamos à conclusão de que o tempo em que a inveja se manifesta, não está restrito a apenas algumas circunstâncias mais fortes. A inveja estoura desde a nossa infância; a toda hora; todo dia; em todas as situações; no meio da família; no emprego. No relacionamento de amizade; no relacionamento amoroso; no relacionamento conjugal etc.

A DESTRUIÇÃO ADVINDA DA MALDADE COMO DESTRUIR – COMBATE-LA

NÃO ATRIBUA AOS OUTROS FRACASSOS DEVIDO A SUA NEGLIGÊNCIA = É muito

comum lançar culpa aos outros pelo fracasso que sofremos na vida. Existe pessoas que passa a vida toda atribuindo seus erros e fracassos aos outros. Foi isso que vemos revelado na vida de Caim. A história de maldade terminada em assassinato teve seu começo com essa justificativa. A raiva do seu irmão que ofereceu o melhor para Deus. Culpou seu irmão pela rejeição de Deus. Quantas pessoas frustadas com suas vivem culpando segundo e terceiros pela sua infelicidade. Agindo a semelhança de Caim.

Com isso gerando uma situação de magoa e revolta que acaba em confusão inimizade e tudo mais. Um problema gerando outro problemas mais complicados. Por causa da irresponsabilidade, da e negligência da própria pessoas.

NÃO ALIMENTAR SENTIMENTOS QUE NOS IMPEÇAM DE OUVIR A DEUS. = É comum primeiramente as pessoas agirem para depois refletir, é o caminho inverso, tem sida a constante em nossas vidas. Tanto é verdade que muitas reações e atitudes leva muitas pessoas a total destruição.

NÃO ALIMENTAR SENTIMENTOS QUE NOS IMPEÇAM DE OUVIR A DEUS. = É comum primeiramente as pessoas agirem para depois refletir, é o caminho inverso, tem sida a constante em nossas vidas. Tanto é verdade que muitas reações e atitudes leva muitas pessoas a total destruição.

Pensar antes de responder é revelar assim a sua ignorância. A Bíblia diz em Provérbios 15:28 “O coração do justo medita no que há de responder; mas a boca dos ímpios derrama coisas más.” Devemos manter os nossos pensamentos puros - porque as ações começam no coração. A Bíblia diz em Marcos 7:21-22 “Pois é do interior, do coração dos homens, que procedem os maus pensamentos, as prostituições, os furtos, os homicídios, os adultérios, a cobiça, as maldades, o dolo, a libertinagem, a inveja, a blasfêmia, a soberba, a insensatez.” A Bíblia diz em Provérbios 23:7 “Porque, como ele pensa consigo mesmo, assim é; ele te diz: Come e bebe; mas o seu coração não está contigo.”

SE AGIRMOS ASSIM NA FAMILIA = NO TRABALHO = NA IGREJA ESTAREMOS DESTRUIRMOS TODA MALDADE.

Depois da nossa conversão, devemos deixar que o Espírito Santo mude a nossa forma de pensar. A Bíblia diz em Romanos 12:2 “E não vos conformeis a este mundo, mas transformai-vos pela renovação da vossa mente, para que experimenteis qual seja a boa, agradável, e perfeita vontade de Deus.”

Devemos ter bons pensamentos para que as nossas ações sejam positivas e sábias. A Bíblia diz em Filipenses 4:8 “Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai.”

Devemos ter a mente de Cristo. A Bíblia diz em Filipenses 2:5 “Tende em vós aquele sentimento que houve também em Cristo Jesus.”

CONCLUSÃO

É fato que se alguém é invejado é porque tem boas qualidades e está fazendo algo bom, pois ninguém é invejado por ter más qualidades ou desempenhar mal uma tarefa (Ecle 4:4).

José, Paulo, Jesus e outros personagens bíblicos foram invejados porque serviam a Deus e faziam bem àquilo que era Sua vontade. Entretanto, eles não desistiram de seus feitos por causa da inveja alheia, pelo contrario, prosseguiram fazendo aquilo que agradava a Deus. Mesmo perseguidos e maltratados sabiam que a resposta à inveja era fazer melhor aquilo que já estavam fazendo

A inveja é uma das maiores demonstrações de mesquinharia humana, causada pela queda no pecado. Os invejosos chegam a fazer campanhas de perseguição contra suas vítimas, as quais, na maioria das vezes, não têm qualquer culpa por haverem despertado tal sentimento nos invejosos. Geralmente os mal-sucedidos têm inveja dos bem-sucedidos.

Essa é uma tentativa distorcida para compensar pelo fracasso, glorificando ao próprio “eu” e procurando enxovalhar a pessoa invejada. Está baseada, portanto, na mais pura carnalidade. Muitas vítimas da inveja já descobriram que a melhor maneira de evitar o invejoso é fugir dele. Uma pessoa bem-sucedida não pode abandonar o seu sucesso, somente para satisfazer o invejoso, tornando-se um fracassado como ele.

Elaboração pelo:- Evangelista Isaias Silva de Jesus

BIBLIOGRAFIA
www.jesusvoltara.com.br
www.webservos.com.br
www.estudosdabiblia.net
www.estudosgospel.com.br
iapcpenha.files.wordpress.com
Bíblia de Estudo Pentecostal


Postar um comentário