quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Não importa as lutas espere em Deus


Tensão, dor, raiva, preocupação, temos problemas, estamos num mundo que a Bíblia diz que jaz no maligno, logo é natural termos problemas. Nossos questionamentos não são os problemas, pois Jesus nos preveniu, ...no mundo tereis aflições..., a questão é: onde nos refugiamos quando eles aparecem?

O salmista nos dá algumas dicas para aplicar e sair bem nas provações da vida. O que fazer? Como agir? Para quem recorrer?

Só ele é a minha rocha e a minha salvação; é a minha defesa; não serei abalado. Salmos 62:6

A minha alma espera somente em Deus; dele vem a minha salvação. Salmos 62:1. A segurança do salmista não advém de uma vida sem problemas, sem aflições, sem injustiças, ao contrário, Davi estava rodeado de dificuldades.

Todos nós vivenciamos situações que causam tristeza, apre

Injustiçado por alguém

Mas o Senhor assistiu-me e fortaleceu-me, para que por mim fosse cumprida a pregação, e todos os gentios a ouvissem; e fiquei livre da boca do leão. E o Senhor me livrará de toda a má obra, e guardar-me-á para o seu reino celestial; a quem seja glória para todo o sempre. Amém. (2 Tm 4:16-18).

Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira, porque está escrito: Minha é a vingança; eu recompensarei, diz o Senhor. Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; porque, fazendo isto, amontoarás brasas de fogo sobre a sua cabeça. Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem. (Rm. 12:19-21)

Preocupações, angústias, tristezas, o melhor remédio é a oração.



Em Deus está a minha salvação e a minha glória; a rocha da minha fortaleza, e o meu refúgio estão em Deus. Confiai nele, ó povo, em todos os tempos; derramai perante ele o vosso coração. Deus é o nosso refúgio. (Selá.) Certamente que os homens de classe baixa são vaidade, e os homens de ordem elevada são mentira; pesados em balanças, eles juntos são mais leves do que a vaidade. Não confieis na opressão, nem vos ensoberbeçais na rapina; se as vossas riquezas aumentam, não ponhais nelas o coração. Salmos 62:7-10

O remédio para a angústia:

Na minha angústia clamei ao SENHOR, e me ouviu (Sl 120.1)

O remédio para insegurança é clamar:

Esperei com paciência no Senhor Ele se inclinou para mim e ouviu o meu clamor. (Sl. 40.1)

Quando os inimigos se levantarem clame:

Eu te amarei, ó SENHOR, fortaleza minha. O SENHOR é o meu rochedo, e o meu lugar forte, e o meu libertador; o meu Deus, a minha fortaleza, em quem confio; o meu escudo, a força da minha salvação, e o meu alto refúgio. Invocarei o nome do SENHOR, que é digno de louvor, e ficarei livre dos meus inimigos (Sl.18:1-3)

Em toda e qualquer situação: O Senhor é o meu Pastor e nada me faltará. (Sl 23:1) Não faltará força para vencer a luta; Não faltará o consolo do Espírito Santo no momento da aflição; Não faltará a Justiça de Deus no momento da perseguição; Não faltará a presença de Deus no momento da solidão; Mas também não faltará a alegria do Senhor no momento da vitória; Não faltará um louvor de gratidão, no momento da resposta; Não faltará testemunho nos nossos lábios no momento da benção pois a vitória virá, Deus é fiel.

O PODER PERTENCE A DEUS.

A ti também, Senhor, pertence a misericórdia; pois retribuirás a cada um segundo a sua obra. (Sl. 62.12)

Deus nos convida a uma vida de santidade e revelação.


Buscar-me-eis e me achareis quando me buscardes de todo o vosso coração. (Jr.29.13)

Deus nos convida ao dialogo, perguntas e respostas.

Clama a mim responder-te-ei, anunciar-te-ei, coisas grandes e firmes e que não sabes. (Jr. 33.3)

Deus diz que tudo vai acabar bem

E sabemos que todas as coisas contribuem juntamente para o bem daqueles que amam a Deus e são chamados pelo seu decreto.(Rm.8.28)

Em todas estas coisas somos mais do que vencedores, por aquele que nos amou.(Rm.8.37)


Pr. Fernando Marques
Revisado e adaptado por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br 

quarta-feira, 29 de agosto de 2012

A Interceção do Espírito Santo




"E aquele que esquadrinha os corações sabe qual é a intenção do Espírito: que ele, segundo a vontade de Deus, intercede pelos santos". Rm 8:27

O versículo acima diz claramente que o Espírito Santo intercede por nós, de acordo com a vontade de Deus. Ele conhece o plano divino para as nossas vidas, e faz com que, ao orarmos em línguas, oremos o plano de Deus para nós!

Esta passagem tem um contexto que a esclarece bem; no versículo anterior (o v.26), o escritor fala da nossa dificuldade em orar de forma correta quando diz que "não sabemos o que havemos de pedir como convém".

É importante reconhecer o quanto nos identificamos nisto; a expressão "como convém" revela o quanto sentimo-nos deslocados na oração por não ter certeza de qual é a vontade do Senhor quanto ao que pedimos. Mas glória a Deus porque o versículo afirma também que o Espírito nos ajuda, intercedendo por nós.

Portanto, se por um lado temos dificuldade em não saber orar como convém (ou seja, segundo a vontade de Deus), por outro o Espírito vem socorrer-nos com sua linguagem de oração, pois Ele conhece a vontade de Deus para cada um de nós.

Já o versículo posterior ao nosso texto base (o v.28), fala de como o Pai Celeste gerencia as circunstâncias na vida de seus filhos, fazendo com que todas as coisas - inclusive as ruins - venham a concorrer para seu próprio bem: "E sabemos que todas as coisas concorrem para o bem daqueles que amam a Deus"; e conclui apontando quem são os que se encontram dentro desta promessa: "aqueles que são chamados segundo o seu propósito".

Deus tem planos e propósitos para as nossas vidas, e, mesmo que não tomemos ciência deles, podemos experimentá-los e vê-los cumprirem-se.

Perceba que não é o fato de sabermos orar a vontade de Deus, mas exatamente o oposto, que nos dá direito de desfrutar do auxílio do Espírito; portanto, a Escritura Sagrada não está falando de conhecermos QUAL é a vontade de Deus para nós, mas sim que, mesmo não a conhecendo, podemos orá-la através do Espírito de Deus.

Nem sempre o Senhor nos mostrará quais são seus planos, mas SEMPRE poderemos desfrutá-los... se orarmos por eles!



Temos um adversário, Satanás, que tentará de todas as formas investir contra as nossas vidas para afastarmo-nos do propósito divino. São investidas, laços, armadilhas... uma após outra! Mas ao orarmos no Espírito Santo, cientes de que o Pai tem para nós um plano, veremos Deus gerenciar as circunstâncias de tal maneira, que tudo se encaixará em seu devido lugar e a vontade do Senhor se estabelecerá.

Entenda isto: mesmo quando as circunstâncias parecem fora do controle, a oração em línguas trará o cumprimento do plano de Deus.


Extraído do livro A Linguagem Sobrenatural de Oração Pr. Luciano Subirá.
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

O Espírito Santo nos Convence e nos Chama




Um dos efeitos mais devastadores do pecado é que ele nos cegou para não o reconhecermos em nós mesmos. "O deus deste século cegou os entendimentos dos incrédulos, para que lhes não resplandeça a luz do evangelho da glória de Cristo, o qual é a imagem de Deus" (2 Cor. 4:4).

Só o Espírito Santo pode abrir os nossos olhos. Só Ele pode nos convencer da profundidade do nosso pecado, e somente Ele pode nos convencer da veracidade do evangelho. Esta é uma das razões de o Espírito Santo ser chamado de "Espírito da verdade" em João 14:17.

Jesus, falando do Espírito Santo, disse: "Quando ele vier convencerá o mundo do pecado, da justiça e do juízo: do pecado, porque não crêem em mim; da justiça, porque vou para o Pai, e não me vereis mais; do juízo, porque o príncipe deste mundo já está julgado" (João 16:8-11).

J. Gresham Machen escreveu: "A atuação misteriosa do Espírito de Deus é indispensável no novo nascimento. Sem isto, todos os nossos argumentos são inúteis...

O Espírito Santo no novo nascimento não transforma uma pessoa num cristão passando por cima das evidências mas, pelo contrário, tira a neblina de diante dos seus olhos, para que ele possa ver as evidências."

Temos de nos lembrar também que o Espírito Santo usa a verdade contida na Palavra de Deus para convencer nosso coração. A Bíblia nos diz: "A fé vem pela pregação, e a pregação pela palavra de Cristo" (Rom. 10:17). E em outro trecho: "A palavra de Deus é viva e eficaz, e mais cortante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até ao pomo de dividir alma e espírito, juntas e medulas, e apta para discernir os pensamentos e propósitos do coração" (Heb. 4:12).

Deus Espírito Santo pode transformar a nossa mais humilde pregação e nossas mais covardes palavras sobre Cristo, por Seu poder, em palavra de persuasão na vida de outras pessoas.

Sem a atuação do Espírito Santo nunca veríamos com clareza a verdade divina sobre o nosso pecado, ou a respeito do nosso Salvador. Isto é o que eu acho que Jesus quis dizer em João 6:44: "Ninguém pode vir a mim se o Pai que me enviou não o trouxer; e eu o ressuscitarei no último dia."

A Bíblia nos faz urna advertência solene de não resistirmos ao chamado do Espírito Santo. Lemos em Gênesis 6:3: "O meu Espírito não agirá para sempre no homem." Sem a "ação" do Espírito Santo é impossível chegar a Cristo. Mas há o perigo de passarmos do último "retorno", e de nossos corações se tornarem tão insensíveis e endurecidos pelo pecado que não ouvimos mais a voz do Espírito.



Digo novamente que há muitas coisas que não entendemos completamente, e não cabe a nós dizer quando outra pessoa chegou a este ponto. Não poderia, aparentemente, haver homem mais endurecido que o rei Manassés, no Antigo Testamento, e mesmo assim ele no fim se arrependeu do seu pecado, e Deus em Sua graça o perdoou (2 Crôn. 33).

Mas não devemos menosprezar a advertência que a Bíblia nos faz: "Esta é a hora de receber o socorro de Deus! Hoje é o dia de ser alvo!" (2 Cor. 6:2, BLH).

O autor do livro de Provérbios diz: "O homem que muitas vezes repreendido endurece a cerviz (teima em não se corrigir, BLH), será quebrantado de repente sem que haja cura" (Prov. 29:1).


Extraído do Livro O ESPÍRITO SANTO de Billy Graham.

Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

segunda-feira, 27 de agosto de 2012

Como vencer o desânimo




Na sociedade que vivemos que é de mais de sete bilhões de pessoas, todos nós seres humanos passamos por circunstâncias difíceis; e desanimamos.

1. Ninguém pode dizer que jamais adoeceu, por que todos nós já adoecemos pelo menos uma vez.

2. Ninguém pode dizer que jamais se entristeceu, por que todos nós já nos entristecemos mais de uma vez.

3. Ninguém pode dizer jamais desanimei, porque todos nós alguma vez nos sentimos desanimados.

Todos nós passamos por dificuldades; no aspecto econômico, aspecto de saúde e nos desanimamos.

Assim também, na área espiritual passamos circunstancias que são difíceis, que nos desanimam.

Toda pessoa pode vencer o desânimo.

No texto de Jeremias 20:7-12 encontramos o segredo para vencer o desanimo.

I. Toda pessoa pode vencer o desanimo, não escutando o que outros dizem negativamente.

Porque ouvi a murmuração de muitos, terror de todos os lados: Denunciai, e o denunciaremos; todos os que têm paz comigo aguardam o meu manquejar, dizendo: Bem pode ser que se deixe persuadir; então prevaleceremos contra ele e nos vingaremos dele. (Jr. 20.10).

A. Murmuração do grego (Gonguzo) murmúrio, murmurar, dizer algo em tom baixo. Falar entre os dentes, manifestar queixa ou desgosto por alguma coisa.

B. Jeremias 20:10 “Porque ouvi a murmuração de muitos”, esta expressão de Jeremias reflete a razão, o motivo que o levou a um estado de desanimo profundo.

C. Ilustração: a Bíblia apresenta exemplos de pessoas que não deram ouvidos ao que outros falaram de forma negativa contra eles (Davi – Golias; Bartimeu o cego, Ana mãe de Samuel, etc.).

D. Aplicação: Você e eu devemos aprender desta expressão do profeta, que nos ajuda a não dar ouvidos o que os outros falam negativamente de nós.

II. Toda pessoa pode vencer o desanimo, não esquecendo de quem o chamou.

Então disse eu: Não me lembrarei dele, e não falarei mais no seu nome; mas isso foi no meu coração como fogo ardente, encerrado nos meus ossos; e estou fatigado de sofrer, e não posso mais. (Jr. 20.9)

A. Chamar do grego (Epikaleo, Klesis) significa ser chamado pelo nome, escolhido.

B. Jeremias 20:9 “Quando pensei: não me lembrarei dele e já não falarei no seu nome…”.

1. Esta é uma magnífica expressão da luta em que se debatia a alma do profeta: por um lado, o desejo de abandonar um ministério que só lhe produzia sofrimentos; e por outro, a impossibilidade de resistir a uma compulsão interior muito mais forte que ele.

C. Ilustração: Amós: 3:8; I Coríntios 9:16. “Pois se anuncio o evangelho, não tenho de que me gloriar; pois sobre mim pesa essa obrigação; porque aí de mim se não pregar o evangelho!”; (Moisés, Ministros, famílias, etc.).

D. Aplicação: Nós nunca devemos nos esquecer de quem nos chamou; de quem teve misericórdia de nós quando não éramos nada e nem ninguém.

III. Toda pessoa pode superar o desanimo, reconhecendo que Deus sempre lhe dará vitória.

Mas o SENHOR está comigo como um valente terrível; por isso tropeçarão os meus perseguidores, e não prevalecerão; ficarão muito confundidos; porque não se houveram prudentemente, terão uma confusão perpétua que nunca será esquecida. (Jr.20.11).

A. Vitoria do grego. (Niké, Nikao) Conquistar, superioridade, vantagem ou triunfo que se consegue contra o oponente em uma disputa.

B. Exemplo: Jeremias 20:11 “Mas o Senhor está comigo como um poderoso guerreiro; por isso, tropeçarão os meus perseguidores e não prevalecerão; serão sobremodo envergonhados; e, porque não se houveram sabiamente, sofrerão afronta perpetua, que jamais se esquecerá”

C. Ilustração: Na Bíblia há exemplos de pessoas que conquistaram a vitória colocando toda sua confiança em Deus. Ex. Moisés, Elias, Davi, Samuel, Paulo.

D. Aplicação: Da mesma maneira, você e eu devemos colocar toda nossa confiança na obra poderosa de Cristo na Cruz do Calvário; na cruz ele obteve por nós uma vitória total.

Toda pessoa pode superar o desanimo; não dando atenção ao que os demais digam negativamente, não se esquecendo de quem nos chamou e reconhecendo que aquele que nos chamou sempre nos dará a vitória sobre qualquer problema.

Portanto, devemos superar o desanimo como os grandes homens de Deus que também desanimaram, mas que confiaram em Deus; receberam novas forças e assim seguiram adiante lhe servindo.

Somente creia, confie em Deus e Ele lhe dará vitória total.


Pr. Aldenir Araujo Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

sexta-feira, 24 de agosto de 2012

Mensagem As sete verdades do Bambú


Depois de uma grande tempestade, o menino que estava passando férias na casa do seu avô, o chamou para a varanda e falou:
Vovô corre aqui! Me explica como essa figueira, árvore frondosa e imensa, que precisava de quatro homens para balançar seu tronco se quebrou, caiu com o vento e com a chuva... este bambu é tão fraco e continua de pé?
Filho, o bambu permanece em pé porque teve a humildade de se curvar na hora da tempestade. A figueira quis enfrentar o vento. O bambu nos ensina sete coisas. Se você tiver a grandeza e a humildade dele, vai experimentar o triunfo da paz em seu coração.
A primeira verdade que o bambu nos ensina, e a mais importante, é a humildade diante dos problemas, das dificuldades. Eu não me curvo diante do problema e da dificuldade, mas diante daquele, o único, o princípio da paz, aquele que me chama, que é o Senhor.
Segunda verdade: o bambu cria raízes profundas. É muito difícil arrancar um bambu, pois o que ele tem para cima ele tem para baixo também. Você precisa aprofundar a cada dia suas raízes em Deus na oração.
Terceira verdade: Você já viu um pé de bambu sozinho? Apenas quando é novo, mas antes de crescer ele permite que nasça outros a seu lado (como no cooperativismo). Sabe que vai precisar deles. Eles estão sempre grudados uns nos outros, tanto que de longe parecem com uma árvore. Às vezes tentamos arrancar um bambu lá de dentro, cortamos e não conseguimos. Os animais mais frágeis vivem em bandos, para que desse modo se livrem dos predadores.
A quarta verdade que o bambu nos ensina é não criar galhos. Como tem a meta no alto e vive em moita, comunidade, o bambu não se permite criar galhos. Nós perdemos muito tempo na vida tentando proteger nossos galhos, coisas insignificantes que damos um valor inestimável. Para ganhar, é preciso perder tudo aquilo que nos impede de subirmos suavemente.
A quinta verdade é que o bambu é cheio de “nós” ( e não de eu’s ). Como ele é oco, sabe que se crescesse sem nós seria muito fraco. Os nós são os problemas e as dificuldades que superamos. Os nós são as pessoas que nos ajudam, aqueles que estão próximos e acabam sendo força nos momentos difíceis. Não devemos pedir a Deus que nos afaste dos problemas e dos sofrimentos. Eles são nossos melhores professores, se soubermos aprender com eles.
A sexta verdade é que o bambu é oco, vazio de si mesmo. Enquanto não nos esvaziarmos de tudo aquilo que nos preenche, que rouba nosso tempo, que tira nossa paz, não seremos felizes. Ser oco significa estar pronto para ser cheio do Espírito Santo.
Por fim, a sétima lição que o bambu nos dá é exatamente o título do livro: ele só cresce para o alto. Ele busca as coisas do Alto.

Essa é a sua meta.


Por Antonio Wilmar

Filhos de Deus, cantem uma canção!




Nascemos com a missão de descobrirmos quem somos, porque somos, e para onde vamos quando não mais existirmos. Nessa busca, muitos se perdem pelo caminho, entre retornos, atalhos, abismos... E muitos se encontram exatamente quando reconhecem que estão perdidos.

Olhar para o alto não deveria ser um simples gesto de contemplação do universo, mas um reconhecimento de fragilidade, de reflexão, de ânsia por conhecer o que está “por trás das cortinas” ora azuis, cinzas, em negritude com enfeites luminosos.

Nosso ser percorre eternos conflitos, entre ser, não ser, querer e poder. Entre viver e não viver, amor e ódio. Somos complexos, perplexos quando surpreendidos por atos falhos, que revelam uma natureza em desarmonia com a perfeição do Criador. E no principio, tudo era bom (Gn 1:31) por que nos corrompemos?

De mãos perfeitas, sopro de vida, espírito sem o qual jamais viveríamos, fomos formados. “Adamah”: solo, chão, pó, de onde viemos e para onde retornaremos. Amados, desde o ventre, acalentados em graça latente, paridos para o contentamento.

Quem com toda sua força conseguiria erguer o sol ao seu poente, nascente? Quem controlaria o tempo, o nosso tempo desde o primeiro sorriso ao gemido da velhice? Quem conseguiria decifrar a harmonia da rotação dos planetas, o curso das águas, o voo dos pássaros? Quem, tão igual a mim, faria tais prodígios?

E essa força, chamada liberdade, que nos conduz a veredas eternas? E essa voz que nos traz felicidade, dizendo que existe recomeço? De onde vem, a esperança, a fé e o amor que nos completa, de tal forma nos fazendo únicos? De onde vem essa dádiva que nos permite ver o belo, sonhar com o amanhã, e cantar melodias diferentes? Por que se negam a ver o amor do Criador, ainda que tardiamente?

O universo conspira a teu favor, está escrito em cada partícula de segundo: “Retornas a Mim”. É o Pai quem vos chama, desde sempre, desde o sêmen. Sem linguagem, sem fala ouve-se a voz de Deus a te chamar. No silêncio, Ele te chama.

No murmurinho do mundo, Ele também te chama: “E porque sóis filhos, Deus enviou aos nossos corações o Espírito de Seu Filho, que clama: Aba Pai. Assim já não és mais servo, mas filho, e se és filho és também herdeiro de Deus por Cristo” Gl 4:6, 7.Sua vitória está escrita. Por toda parte. O Pai te espera, simplesmente porque te ama.



Wilma Rejane
Fonte: http://www.atendanarocha.com 



A cana trilhada e o pavio que fumega




"A cana trilhada não quebrará, nem apagará o pavio que fumega" Is 42:3

Através da simbologia da cana trilhada e do pavio que fumega, Deus revela Seu amor e misericórdia para com os caídos, machucados, carentes de uma nova vida.

À beira da estrada, nas trilhas de canaviais é o lugar onde se acumulam canas desprendidas dos pés, arrastadas pelos fortes ventos, fáceis de serem pisadas e descartadas em razão do estado de estrago. Não é bem o tipo de cana que agricultores usariam para obtenção de lucro ou mesmo preparo de alimento. Mas Deus diz: "essa cana me interessa, não a lançarei no lixo, assim mesmo, como está Eu me servirei dela, Meu poder restaurador é maior que a conspiração de morte."

Pavio fumegando nos fala de forças que se esvaem, de fogo que se apaga, de vidas que outrora foram repletas de sonhos, fé e esperança, mas que se perderam em algum lugar , chegando próximas de um fim. E Deus diz: " Não permitirei que encerre sua missão de iluminar, antes farei reviver a chama".

Essa mensagem nos convida a viver um novo tempo que ressurge pelas mãos Divinas do Pai, atento às "insignificantes" coisas da vida que sob um olhar humano nada valem a não ser para serem descartadas. Mas Deus em infinita misericórdia; das cinzas, do monturo, ergue o necessitado.

Levanta o pobre do pó, e do monturo levanta o necessitado. Para o fazer assentar com os príncipes, mesmo com os príncipes do seu povo. Salmos 113:7-8

Se hoje você se sente assim como "a cana trilhada e o pavio que fumega" o convido a entregar tudo a Deus em um gesto de fé e reconhecimento de incapacidade humana. Deus quer você, como está. Ele passeia entre os canaviais para ajuntar o que está em pedaços. Ele restaura as trilhas, desobstrui os caminhos para uma nova visão.

Lembre-se de Jó, em seu estado miserável: perdera família, saúde, amigos, enfim, uma "cana trilhada, pavio fumegando" experimentando as dores mais terríveis das adversidades, mas do fundo da alma, de um lugar onde Satanás não pode tocar, Jó arrancou forças para crer:

"Porque eu sei que o meu Redentor vive, e que por fim se levantará sobre a terra. E depois de consumida a minha pele, contudo ainda em minha carne verei a Deus." Jó 19:25,26.

Reúna suas forças e arranque do fundo da alma a mesma confissão feita por Jó. Da mesma forma que a restauração chegou para Jó, chegará para você também. Deus se apraz em fazer o bem a um coração que clama e confia em Seu socorro.

Lembre-se ainda da prostituta Raabe, o testemunho dessa mulher aumenta minha fé, conforta meu coração a não se entregar a mágoas, angústias, rancor e tudo o mais que seja veneno para meus ossos. Raabe estava "na trilha do canavial". Uma vida sem sentido, dormindo e acordando para viver as mesmas coisas fúteis inerentes a quem faz do corpo comércio. Mas do fundo da alma, encontrou forças e pela fé entregou a vida e a família aos cuidados do Senhor.

"Pela fé Raabe, a meretiz,não pereceu com os incrédulos, acolhendo em paz os espias"Hb 11.31

E o que dizer de Noemi? Amargurada por ver a morte ceifar as pessoas que mais amava, vazia, faminta e desprezada, parte em fuga de um lugar a outro, com esperança de nova vida. Noemi estava abalada "na trilha do canavial, pavio fumegando" mas ainda lhe restara a fé que confessava no íntimo da alma, no que Deus lhe foi fiel.

“Ele te será Recriador da alma...” Rt. 4:15

A palavra "recriador" vem de shub (strong 07725) que significa: “Voltar”, “ir de encontro ao ponto de partida, em sentido espiritual”; “arrepender-se”. Deus mudou a direção da vida de Noemi, arrancou a dor, concedeu-lhe alegria. O Deus que ela servia não a desamparou em momento algum, apesar dos pesares.

Esse é o tempo da restauração para sua vida. Deus é esse Recriador da alma que sente prazer por nos socorrer, simplesmente porque nos ama. E ele ama, em todo o tempo, mesmo e principalmente quando achamos que não merecemos Seu amor. Em Cristo 


Wilma Rejane
Fonte: http://www.atendanarocha.com 

quinta-feira, 23 de agosto de 2012

O que significa: Deus é amor?




Primeiramente vamos observar como a Palavra de Deus, a Bíblia, descreve “amor”, e então veremos algumas maneiras de como isto se aplica a Deus. “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha...” (I Coríntios 13:4-8a).

Esta é a descrição de Deus para o amor. Isto é como Ele é, e os cristãos devem fazer disto sua meta (mesmo que sempre em processo).

A maior expressão do amor de Deus é a nós comunicada em João 3:16 e Romanos 5:8: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê (em Jesus Cristo) não pereça, mas tenha a vida eterna.” “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

Nestes versos podemos ver que o maior desejo de Deus é que nos juntemos a Ele em Seu lar eterno, o céu. Ele tornou isto possível pagando o preço por nossos pecados. Ele nos ama por sua própria escolha, um ato de Sua própria vontade. “Está comovido em mim o meu coração, as minhas compaixões a uma se acendem” (Oséias 11:8b).

O amor perdoa. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:9).

O amor (Deus) não Se impõe a ninguém. Os que vêm a Ele o fazem em resposta a Seu amor.

O amor (Deus) demonstra bondade a todos.

O amor (Jesus) andou espalhando o bem a todos, sem favoritismos.

O amor (Jesus) não desejou o que pertencia a outros, vivendo uma vida humilde, sem reclamações.

O amor (Jesus) não se vangloriou de quem Ele era em carne, mas poderia ter demonstrado força a qualquer um com quem teve contato.

O amor (Deus) não impõe a obediência. Deus não exigiu a obediência de Seu Filho, mas ao invés disso, Jesus voluntariamente obedeceu a Seu Pai nos céus. “mas, assim como o Pai me ordenou, assim mesmo faço, para que o mundo saiba que eu amo o Pai.” (João 14:31).

O amor (Jesus) sempre esteve e está cuidando dos interesses de outros.

Esta pequena descrição do amor revela uma vida sem interesses centrados em si mesmo, em contraste com a vida egoísta do homem natural.

Surpreendentemente, através do Espírito Santo, Deus deu a capacidade de amar, como Ele ama, àqueles que recebem Seu Filho Jesus como seu Salvador pessoal de pecados.

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome (João 1:12)

Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele (1 João 3:1)

E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado. (1 João 3:23-24)

Que desafio e privilégio!



GotQuestions
Por Litrazini.

Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br 


O que significa: Deus é amor?




Primeiramente vamos observar como a Palavra de Deus, a Bíblia, descreve “amor”, e então veremos algumas maneiras de como isto se aplica a Deus. “O amor é sofredor, é benigno; o amor não é invejoso; o amor não trata com leviandade, não se ensoberbece. Não se porta com indecência, não busca os seus interesses, não se irrita, não suspeita mal; não folga com a injustiça, mas folga com a verdade; tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca falha...” (I Coríntios 13:4-8a).

Esta é a descrição de Deus para o amor. Isto é como Ele é, e os cristãos devem fazer disto sua meta (mesmo que sempre em processo).

A maior expressão do amor de Deus é a nós comunicada em João 3:16 e Romanos 5:8: “Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo aquele que nele crê (em Jesus Cristo) não pereça, mas tenha a vida eterna.” “Mas Deus prova o seu amor para conosco, em que Cristo morreu por nós, sendo nós ainda pecadores.”

Nestes versos podemos ver que o maior desejo de Deus é que nos juntemos a Ele em Seu lar eterno, o céu. Ele tornou isto possível pagando o preço por nossos pecados. Ele nos ama por sua própria escolha, um ato de Sua própria vontade. “Está comovido em mim o meu coração, as minhas compaixões a uma se acendem” (Oséias 11:8b).

O amor perdoa. “Se confessarmos os nossos pecados, ele é fiel e justo para nos perdoar os pecados e nos purificar de toda injustiça” (I João 1:9).

O amor (Deus) não Se impõe a ninguém. Os que vêm a Ele o fazem em resposta a Seu amor.

O amor (Deus) demonstra bondade a todos.

O amor (Jesus) andou espalhando o bem a todos, sem favoritismos.

O amor (Jesus) não desejou o que pertencia a outros, vivendo uma vida humilde, sem reclamações.

O amor (Jesus) não se vangloriou de quem Ele era em carne, mas poderia ter demonstrado força a qualquer um com quem teve contato.

O amor (Deus) não impõe a obediência. Deus não exigiu a obediência de Seu Filho, mas ao invés disso, Jesus voluntariamente obedeceu a Seu Pai nos céus. “mas, assim como o Pai me ordenou, assim mesmo faço, para que o mundo saiba que eu amo o Pai.” (João 14:31).

O amor (Jesus) sempre esteve e está cuidando dos interesses de outros.

Esta pequena descrição do amor revela uma vida sem interesses centrados em si mesmo, em contraste com a vida egoísta do homem natural.

Surpreendentemente, através do Espírito Santo, Deus deu a capacidade de amar, como Ele ama, àqueles que recebem Seu Filho Jesus como seu Salvador pessoal de pecados.

Mas, a todos quantos o receberam, deu-lhes o poder de serem feitos filhos de Deus, aos que creem no seu nome (João 1:12)

Vede quão grande amor nos tem concedido o Pai, que fôssemos chamados filhos de Deus. Por isso o mundo não nos conhece; porque não o conhece a ele (1 João 3:1)

E o seu mandamento é este: que creiamos no nome de seu Filho Jesus Cristo, e nos amemos uns aos outros, segundo o seu mandamento. E aquele que guarda os seus mandamentos nele está, e ele nele. E nisto conhecemos que ele está em nós, pelo Espírito que nos tem dado. (1 João 3:23-24)

Que desafio e privilégio!



GotQuestions
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br 


Pedido de transferência




Ao Comandante e Chefe Espiritual das Forças Armadas - Jesus Cristo

Caro Senhor,

Estou lhe escrevendo para lhe pedir transferência para um trabalho interno. Apresento-lhe aqui as minhas razões: Comecei minha carreira como um soldado raso e devido a intensidade da batalha, rapidamente o Senhor me fez subir de posto. O Senhor me fez ser um(a) oficial e me deu uma tremenda soma de responsabilidades;

Há muitos soldados e recrutas sob minha responsabilidade. Sou constantemente solicitado a dispensar sabedoria, fazer julgamentos e encontrar soluções para problemas complexos. O Senhor me colocou numa posição para funcionar como um oficial, quando em meu coração eu sei que tenho apenas a habilidade de um soldado raso. O Senhor prometeu suprir tudo o que eu precisasse para a batalha.

Mas, Senhor, eu preciso apresentar-lhe um quadro realista do meu equipamento. Meu uniforme, uma vez arrumado e engomado, agora está manchado pelas lágrimas e pelo sangue daqueles que eu tentei ajudar. As solas das minhas botas estão rachadas e gastas pelas milhas que andei tentando alistar e encorajar a tropa.

Minhas armas estão estragadas, manchadas e quebradas devido as constantes batalhas contra o inimigo. Até o Livro de Regulamentos que eu possuía está rasgado e despedaçado pelos intermináveis usos. As palavras agora estão borradas.

O Senhor prometeu que estaria comigo o tempo todo, mas, quando o barulho da batalha é muito alto e a confusão muito grande, eu não posso ouví-LO e nem vê-LO.

Me sinto tão só. Estou cansado(a). Estou desanimado (a). Estou com fatiga de batalha. Eu nunca lhe pediria liberação. Eu amo estar em serviço. Mas humildemente lhe peço um rebaixamento de posto e uma transferência. Arquivarei papéis ou limparei banheiros. Somente me tire da batalha, por favor, Senhor. Seu Fiel, mas cansado guerreiro (a).

RESPOSTA

Ao Fiel, mas cansado Soldado

Forças Armadas Espirituais

Localização: Campo de Batalha

Assunto: Transferência

Caro soldado,

O seu pedido de transferência foi negado. Com isto, apresento aqui minhas razões: Você é necessário nesta batalha. Eu o escolhi e manterei minha palavra de suprir suas necessidades.Você não precisa de um rebaixamento de posto e transferência.(Você nunca realizaria eficientemente o dever de limpar os banheiros). Você precisa de um período de R&R - Renovação e Refortalecimento.

Estou separando um lugar no campo de batalha que é a prova de todo o som, e totalmente protegido do inimigo. Eu o encontrarei e lhe darei descanso. Removerei seu equipamento antigo e "farei novas todas as coisas." Você tem se ferido na batalha;

Meu soldado, suas feridas não são visíveis mas você recebeu graves ferimentos internos.

Você precisa ser curado. Eu curarei você.



Você tem se enfraquecido na batalha. Você precisa ser fortalecido. Eu o fortalecerei e serei a sua força.

Eu instilarei em você confiança e habilidade. Minhas palavras reacenderão dentro de você o amor, o zelo e o entusiasmo.

Reporte-se a mim esfarrapado e vazio. Eu o encherei. Com compaixão, Seu comandante-chefe, Jesus Cristo.

Transcrevi esse relato, pois mostra a realidade de vários homens e mulheres de Deus, pessoas abençoadas e abençoadoras que, por conta das aflições e batalhas diárias se encontram na situação descrita.

Por isso mesmo quero trazer à memória o que o Apóstolo Paulo diz em 2Co.12.9-10: E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, pois, me gloriarei nas minhas fraquezas, para que em mim habite o poder de Cristo. Por isso sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas angústias por amor de Cristo. Porque quando estou fraco então sou forte.


Lidiomar T. Granatti (Litrazini)Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

terça-feira, 21 de agosto de 2012

À Procura de Abrigo





Desânimo. De onde vem ele?
Às vezes ele parece um vento seco, árido, soprado de um deserto solitário. E às vezes algo dentro em nós começa a murchar. Doutras vezes é como uma névoa que dá calafrios. Gotejando através de nossos poros, ele entorpece o espírito e obscurece o cami­nho que está diante de nós.

O que há com relação ao desânimo que priva nossas vidas de alegria e nos deixa vul­neráveis e expostos?

Não conheço todos os motivos. Não conhe­ço nem mesmo a maioria deles. Conheço, porém, um dos motivos: Não temos um refú­gio. Nestes dias é difícil encontrar abrigos . . . você me entende, pessoas que se dispõem a ouvir. Que são boas para guardar segredos. E todos nós necessitamos de ancoradouros on­de resguardar-nos quando nos sentimos cas­tigados pelo mau tempo e assolados pela tem­pestade.

O bar da vizinhança é, possivelmente, o melhor engodo de substituição que há da comunhão que Cristo deseja dar à sua igreja. É uma imitação: fornece bebidas alcoólicas em vez de graça, ilu­são em vez de realidade, mas uma comunhão permissiva, aceitável e envolvente. É inabalável. É democrática. A gente pode contar segredos às pessoas, e elas geralmente não os passam adian­te nem desejam fazê-lo. O bar floresce não por­que em sua maioria as pessoas sejam alcoólatras, mas porque Deus colocou no cora­ção humano o desejo de conhecer e ser conhecido, de amar e ser amado, e por isso muitos buscam uma falsificação pelo preço de algumas cervejas.

De todo o meu coração creio que Cristo quer que sua igreja seja ... uma comunhão onde as pes­soas possam vir e dizer: "Estou afundado'." "Estou derrotado!" "Tive a minha recompensa!” Deixe-me ser dolorosamente específico. Pa­ra onde você se volta quando sua vida chega ao fundo do poço? Ou quando você enfrenta um problema embaraçoso . . . talvez até es­candaloso.

Do que você necessita quando as circuns­tâncias rompem suas frágeis defesas e amea­çam engolfar sua vida com sofrimento e con­fusão?

Você necessita de um abrigo. De um ouvin­te. De alguém que entenda.

Mas para quem você se volta quando não há ninguém a quem possa contar seus proble­mas? Onde encontrar encorajamento?

Sem fazer sermão, eu gostaria de chamar sua atenção para um homem que se voltou para o Senhor vivo e encontrou nele um lugar para descansar e refazer-se. Seu nome? Davi. Encurralado, ferido pela adversidade, e lutan­do com uma baixa auto-estima, ele escreveu estas palavras no seu diário de pesares:

Em ti, ó Senhor, me refugio; nunca seja eu envergonhado; livra-me pela tua retidão. Inclina para mim os teus ouvidos,livra-me depressa; sê a minha firme rocha,uma casa fortíssima que me salve.(Salmo 31:1-2)

Sentindo falhar as forças e ferido em espí­rito, Davi clama sua necessidade de "refúgio". O termo hebraico fala de um lugar protetor, um lugar de segurança, de garantia, secreto. Ele diz do Senhor que ele — Jeová Deus — tornou-se seu refúgio. Nele o homem pertur­bado encontrou estímulo.

Por que necessitamos de refúgio? Continuando a leitura deste Salmo, encontro três motivos manifestos:

Primeiro, porque estamos em angústia e a tristeza nos acompanha.

Tem misericórdia de mim, ó Senhor, pois estou angustiado; consumidos de tristeza estão os meus olhos, a minha alma e o meu corpo. A minha vida está gasta de tristeza (vv. 9-10a).

Os olhos ficam vermelhos de chorar. O peso da tristeza pressiona. A depressão, essa ser­pente de desespero, coleia silenciosamente através da porta dos fundos da alma.

A depressão é Debilitante, derrotante, profundamente desalentadora. Faz com que se caminhe cansadamente através Do supermercado, incapaz de se fazer uma simples escolha, ou de dar o troco correto. Diante de uma casa incrivelmente bagun­çada, pilhas de roupa por lavar, trabalho por fazer, ela nos torna incapaz de erguer um dedo. Sob seu efeito fico Duvidando de que Deus cuida, Duvidando em minhas orações, Duvidando mesmo que Deus esteja lá. Sentado, olhos cravados no espaço, Sinto-me como se estivesse Desesperadamente fora da Raça huma­na. Pesado! Mas é por isto que necessitamos de um refúgio.

Segundo, porque somos pecadores e a culpa nos acusa.

... A minha força descai por causa da minha iniquidade, e os meus ossos se consomem (v. 10b).

Há vergonha entre essas linhas. Embaraço. "Por minha culpa." Que palav­ras duras de sufocar! "Eu sou culpado."

Um velho pastor inglês disse tudo isso quando escreveu:

Isto é o mais amargo de tudo - saber que não havia necessidade de sofrimento; que ele resul­tou da indiscrição e da inconsistência; que ele é a colheita daquilo que o próprio homem semeia; que o abutre que se alimenta dos órgãos vitais é filhote da própria educação do indivíduo. Ai de mim! Isto é sofrimento!'

Correndo apressado e caçado pela tristeza auto infligida, buscamos desesperadamente um lugar para esconder-nos. Mas talvez o mais devastador de todos os golpes seja o desferido por outros.

Terceiro, porque estamos cercados por ad­versários e a incompreensão nos assalta.

Por causa de todos os meus inimigos, fui o opróbrio dos meus vizinhos, e um horror para os meus conhecidos; os que me viam na rua fugiam de mim. Estou esquecido no coração deles, como um morto; ou como um vaso quebrado. Pois ouço a murmuração de muitos, terror por todos os lados; conspiram contra mim e intentam tirar-me a vida (vv. 11-13).

Vê como se trata dos feridos?

"Espanto . . . horror ... os que me vêm na rua fogem de mim . . . estou esquecido . . . tenho ouvido a murmuração . . . terror . . . conspiram contra mim. . . ." Parece um pági­na do seu diário?

Torturados pelo murmurar dos outros, sen­timo-nos como um rato ferido, sangrando nas garras de um gato faminto. O pensamento do que os outros andam dizendo é mais do que aguentamos ouvir. Os boatos (até seu próprio nome horripila) dão o empurrão final à medi­da que lutamos por equilíbrio à beira áspera do desespero.

As pessoas desanimadas não necessitam de críticos. Elas já estão bastante feridas. Não necessitam de mais culpa ou de angústia acu­mulada. Elas necessitam de estímulo. Neces­sitam de um refúgio.

Um lugar onde esconder-se e curar-se.

Alguém disposto, atencioso, disponível. Um confidente, um companheiro de lutas. Não se pode encontrar um sequer? Por que não partilhar do abrigo de Davi? Aquele que ele chamava de Minha Força, Minha Rocha, Castelo Forte, Cidadela, e Torre Alta.

O Refúgio de Davi nunca falhou. Nem uma vez sequer. E ele nunca se lamentou pelas vezes que deixou cair sua pesada carga e fugiu para o abrigo. Nem o fará você.


Extraído do Livro Dê-me Ânimo de Charles R. Swindoll
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

Diga não à culpa e, sim à misericórdia




Você confessou seu pecado e ainda se sente culpado; a seguir se lembrou que está perdoado, adivinhe quem está lançando a culpa sobre você?

É o velho ambulante da culpa, ele mesmo, Satanás. Ele não deseja que você se lembre de que Deus acabou com seu pecado na cruz. É por isso que precisamos de um advogado de defesa diante do Pai. O nome Satanás significa “O Acusador”.

Cristo não tem de nos defender contra o Pai; Ele nos defende contra Satanás, perante o Pai.

Aqui está uma cena que PROVAVELMENTE aconteceu no céu, hoje, na presença de Deus. Podemos agradecer a Jó por este pedaço de conhecimento da tática do inimigo.

O maligno foi para lá hoje com uma pasta de documentos sobre cada um dos filhos de Deus. Ele levou um dossiê sobre Mateus, Marcos, Luiz e Célia, e especialmente um grande arquivo sobre Rick.

- Ele acusa e aponta:

- “Ah, ah! Temos aí o Rick. Ele é um de Seus filhos, certo? Viu o que ele acaba de fazer?”

Satanás começa a acusar.

Então Jesus se aproxima e diz:

- “Pai, o Rick creu em Mim em 1958. O perdão que eu adquiri na cruz foi então aplicado a ele. Esta é nossa única justificativa”.

E o Pai diz:

- “Acusação rejeitada! Caso encerrado!”

Deus não permitirá que ninguém discipline Seus filhos senão Ele mesmo. Ele o fará em amor porque Ele é livre para lidar conosco em graça. Deus, à base de Seu Espírito que reside em nós, em quem Ele confia e instalou na vida de cada filho, está nos produzindo diariamente à imagem de Jesus.

Jesus mesmo prometeu: “De maneira alguma te deixarei, nunca jamais te abandonarei”: Hebreus 13.5.

Graças a Deus que Ele “vive sempre para interceder por nós”, e por causa disso podemos “Achegar-se confiadamente junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”: Hebreus 4.16

Depois que Satanás nos acusa perante Deus e não faz qualquer progresso ali, ele começa a acusar nossas consciências. Ele nos coloca como que numa roda-viva: pecar, fazer voto de que não repetiremos, tentar pecar, e então pecar novamente.

Não podemos esquecer que o problema não é se Deus vai nos perdoar, mas, se vamos crer que Ele já nos perdoou e confiar Nele para obter a força interior para voltar do pecado.

Antes de tudo, Deus quer que vejamos nosso pecado como Ele o vê – é pecado. Mas Ele não quer que perecemos aí. Se realmente concordamos com Deus a respeito de nosso pecado, então nós também temos de vê-lo como já perdoado.

Deus quer que nos voltemos do pecado e comecemos a confiar Nele para capacitar-nos a alcançar vitória sobre o pecado no futuro.

Se não julgamos nosso pecado deste modo, aceitando Seu perdão, Satanás entra e segura com força aquele cabo da culpa. Ele fará que tentemos compensar nossos pecados e terminaremos punindo a nós mesmos ou alguém mais por tentar aliviar a culpa.

Pense nisso! Temos acesso à presença de Deus. “Aproximemo-nos, com sincero coração, em plena certeza de fé, tendo os corações purificados de má consciência, e lavado o corpo com água pura” : Hebreus 10.22.

Deus nos ama e nos aceita. Estamos perdoados!

Ele quer que confessemos o que temos feito e lhe demos graças por seu perdão.


Lidiomar T GranattiFonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

Quando o deserto chega





Então foi conduzido Jesus pelo Espírito ao deserto, para ser tentado pelo diabo. E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.[...] Então o diabo o deixou; e, eis que chegaram os anjos, e o serviam. (Mateus 4:1-11).

Tétis (deusa da água) queria deixar seu filho Aquiles invencível por isso mergulhou-o num rio que o deixaria invulnerável, porém, quando ela o mergulhou o segurou pelo calcanhar, onde as aguas do rio não o tocaram, foi nesse ponto onde era vulnerável, que ele foi atingido por uma flecha envenenada e acabou morrendo. A partir daí, a expressão calcanhar-de-aquiles indica um ponto franco de uma pessoa.

Depois de um reavivamento sentimos que estamos espiritualmente invulneráveis.

Todos devem passar por um deserto. O Espírito levou Jesus ao deserto

A primeira tentação é a de confiar em nós mesmos e não em Deus.

E, tendo jejuado quarenta dias e quarenta noites, depois teve fome; E, chegando-se a ele o tentador, disse: Se tu és o Filho de Deus, manda que estas pedras se tornem em pães.Ele, porém, respondendo, disse: Está escrito: Nem só de pão viverá o homem, mas de toda a palavra que sai da boca de Deus. (Mateus 4:2-4)

Devemos entender que não podemos fazer nada sem Deus.

Portanto, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram, tudo se fez novo! (IICo.5.17)

Somos todos pecadores.

a. Representa os desejos físicos

b. Jesus tinha a capacidade de transformar a pedra em pão.

c. Mas Jesus estava disposto a confiar em Deus.

A segunda tentação é a de não confiar na palavra de Deus.

Então o diabo o transportou à cidade santa, e colocou-o sobre o pináculo do templo, E disse-lhe: Se tu és o Filho de Deus, lança-te de aqui abaixo; porque está escrito: Que aos seus anjos dará ordens a teu respeito, E tomar-te-ão nas mãos, Para que nunca tropeces em alguma pedra. Disse-lhe Jesus: Também está escrito: Não tentarás o Senhor teu Deus. (Mateus 4:5-7)

A Palavra de Deus deve ser confiável quando devidamente interpretada.

A doutrina é importante!

Porque a palavra de Deus é viva e eficaz. Mais penetrante do que qualquer espada de dois gumes, e penetra até a divisão de alma e espírito, juntas e medulas, e julga os pensamentos e as intenções do coração.( Hb 4:12)

Representa poder

a. Somos tentados a seguir o “poder” em vez de Deus.

A terceira tentação é acreditar que o mundo tem mais oferta do que Deus.

Novamente o transportou o diabo a um monte muito alto; e mostrou-lhe todos os reinos do mundo, e a glória deles. E disse-lhe: Tudo isto te darei se, prostrado, me adorares. Então disse-lhe Jesus: Vai-te, Satanás, porque está escrito: Ao Senhor teu Deus adorarás, e só a ele servirás. (Mateus 4:8-10)

Três vezes no evangelho de João, Jesus refere-se a Satanás como o príncipe “deste mundo” (12:31, 14:30, 16:11)

Glória ou fama

a. Às vezes buscamos a glória e a fama deste mundo.

b. Mesmo em posições na igreja.

Conclusão

1. Jesus foi tentado a ser o messias que o povo queria que ele fosse.

2.Porque nós não temos um sumo sacerdote que não possa compadecer das nossas fraquezas, mas temos alguém que foi tentado em todos os sentidos, assim como nós somos – porém, sem pecado. (Hb 4:15)

3. Você não está feliz de, termos um salvador, que esteve no deserto.

4. Nós somos tentados a

a. Confiar em nós mesmos (necessidades físicas)

b. Desconfiar da palavra de Deus (o poder)

c. Confiar no mundo (glória / fama)

5. O deserto é para que possamos provar a nossa fé


Pr. Aldenir Araújo
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br 

O valor da amizade




Os amigos são vitais em nossa vida. Não podemos viver sem eles. A amizade melhora o nosso bem-estar físico, mental e espiritual. Bons relacionamentos contribuem para mantermos a saúde bem e ainda curam as depressões. Assim como os perfumes alegram a vida, a amizade sincera dá ânimo para viver, Provérbios 27.9.

Não possuir amizades de qualidade é ruim para a saúde, o ânimo, a produtividade e a longevidade de todos nós. Portanto, sempre invista em suas amizades. Elas contribuirão para sua própria felicidade.

Os nossos amigos podem desempenhar alguns papéis em nossa vida que servirão de preciosa ajuda em nossa caminhada. O segredo é não querer que eles sejam perfeitos em todas as áreas. Afinal, nós também não somos.

Tipos de amigos

INCENTIVADORES

São grandes motivadores que sempre impelem você em direção a seus alvos. Possuem interesse genuíno no seu sucesso, mesmo que signifique correr risco por você.

CAMPEÕES

São amigos leais, que ficam ao seu lado como também das coisas em que você acredita. Eles o elogiam em sua presença e ainda “cobrem sua retaguarda”; saindo em sua defesa quando você não está por perto.

COLABORADORES

São aquelas pessoas que têm interesses comuns aos seus. Podem compartilhar com você uma paixão por esportes, hobbies, religião, trabalho, política, comida, filmes, música ou livros.

COMPANHEIROS

Estão sempre ao seu lado, sejam quais forem às circunstâncias. Têm um vínculo praticamente indestrutível com você. Quando alguma coisa boa ou ruim acontece na sua vida são as primeiras pessoas para quem você liga.

COMUNICADORES

São aqueles com os quais você se socializa com frequência. Sempre são convidados para eventos onde é possível conhecer outras pessoas; o que aumenta sua rede de contatos e lhe dá acessos a recursos inexplorados.

ENERGIZADORES

São os “amigos divertidos” que sempre levantam seu ânimo. Eles fazem de tudo para animá-lo quando você está deprimido e transformam um dia bom em um dia ótimo.

INSTIGADORES

Expandem seus horizontes e o incentivam a acolher novas ideias, oportunidades e culturas. Eles o ajudam a fazer mudanças positivas, ampliando sua perspectiva em relação à vida e fazendo de você uma pessoa melhor.

GUIAS

Dão conselhos e mantêm você na direção certa. São os amigos perfeitos para compartilhar seus objetivos e sonhos. Eles o ajudam a vislumbrar um futuro positivo, ao mesmo tempo, com os pés no chão.

Relaciono alguns textos bíblicos para a sua reflexão:

Provérbios 27.10: Melhor é o vizinho perto do que o irmão longe.

Provérbios 18.24: O homem que tem muitos amigos pode congratular-se, mas há amigo mais chegado do que um irmão.

João 15.14: Vós sereis meus amigos, se fizerdes o que eu vos mando.

Isaías 41.8: Mas tu, ó Israel, servo meu, tu Jacó, a quem elegi, semente de Abrãao, meu amigo.

2 Pedro 1.7: E à piedade, o amor fraternal, e ao amor fraternal, a caridade.


Pra. Elizete Malafaia
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

Sentimento, vontade e atitude é igual ao amor




O sentimento gera o pensamento.

Do pensamento brota a ideia.

A ideia traz a vontade.

A vontade se concretiza em atitudes, que determinam os acontecimentos.

Mas será que essa cadeia interligada tem a ver com o AMOR?

Muitas vezes a gente reluta em colocar algo em prática, fazendo a nossa meta virar um tremendo sacrifício. Não é à toa que as pessoas abandonam sonhos, relacionamentos e investimentos emocionais porque não conseguem PERDOAR.

É ou não é verdade que – um zilhão de vezes – a gente desconfia de tudo e de todos, sem acreditar que algo de bom possa nos acontecer de verdade?

Se você já ficou divagando – horas – tentando responder perguntas intangíveis, deixando oportunidades raras passarem, é hora de ponderar a respeito.

Ora, a palavra AMOR é a que mais aparece em toda a literatura, incluídas aí as modernas formas de comunicação, gerando filmes, novelas, poesias e sonetos. Mas será que o AMOR é um pensamento, uma vontade, uma atitude ou um mero acontecimento?



A religião era o fundamento do povo judeu, que realmente reverenciava a Deus, mas Jesus nos conta a parábola onde certo homem foi assaltado e ferido, mas todos que passaram por ele meramente olharam, e tão somente o último prestou socorro (Lc 10:25-37), o que, de acordo com o Mestre, representou um ato de amor.

Possivelmente nós não teremos muitas chances de encontrar pessoas feridas nas ruas e lhes prestar apoio. Talvez somente nos seja possível ajudar alguém com fome ou doente.

Há, contudo, um campo que está aberto para nosso exercício de amor: a prática do perdão, mas que deve ir além da frase: “Eu desculpo”, que é mera retórica.

Para nós sairmos da esfera abstrata e adentramos na real, precisamos expressar atitudes de apoio, gentileza e carinho. Se isso for difícil, podemos fazer de pouquinho em pouquinho, treinando nossa mente e coração a viver uma vida plena, e não amarrada em conceitos e teorias que simplesmente nos deixam mais sozinhos.

O perdão é uma atitude, e deve ser dirigido até mesmo para aqueles que nos magoaram profundamente.

Ouvistes que foi dito: Amarás o teu próximo, e odiarás o teu inimigo.

Eu, porém, vos digo: Amai a vossos inimigos, bendizei os que vos maldizem, fazei bem aos que vos odeiam, e orai pelos que vos maltratam e vos perseguem; para que sejais filhos do vosso Pai que está nos céus; (Mateus 5:43-44).

O SENTIMENTO, O PENSAMENTO, A IDEIA, A ATITUDE de perdoar somente trará saúde para sua alma, sendo possível com o auxílio de Deus, nosso Pai.


Pr. Elcio Lourenço
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br

CURA DAS FERIDAS DO PASSADO




Há um remédio infalível para a cura completa das feridas do passado: é a Palavra de Deus. O poder da Palavra é eficaz, atuante e eterno. A agonia que você sente na alma, e que machuca e fere todo o seu ser, é substituída pela paz e segurança, numa mudança maravilhosa operada pela Palavra de Deus.

Jesus afirmou que: ...as minhas palavras não passarão.(Mt. 24.35)

Porque são palavras vivas que penetram na sua alma, descobrem seus segredos, suas dúvidas, seus sofrimentos, e discernem os propósitos e pensamentos do seu coração. E essa Palavra tem o poder dinâmico para curar você.

A Palavra que você ouve hoje é poderosa para curar as feridas de ontem.

A Palavra Viva de Deus entra em sua vida para curá-lo das feridas do seu passado de tristes lembranças. Essa Palavra tem poder curador, transformador, criativo, e é tremendamente milagrosa. Pela Palavra o mundo foi criado; por toda a terra ouve-se a voz de Deus e suas palavras até aos confins do mundo. (Sl. 19:4)

Quando um centurião encontrou-se com Jesus, e solicitou que Ele curasse seu criado paralítico, pediu apenas uma Palavra: Senhor, não sou digno de que entres em minha casa; mas apenas manda com uma palavra, e o meu rapaz será curado.(Mt. 8.8)

Na tarde desse mesmo dia em que curou o servo do centurião, as pessoas trouxeram muitos endemoninhados a Jesus, pedindo que eles fossem libertados: ...e ele meramente com a palavra expeliu os espíritos, e curou todos os que estavam doentes.(Mt. 8.16)

Jesus fez uma obra completa: libertou os oprimidos e curou os enfermos usando tão somente o poder de Sua Palavra. (Mt. 8.17)

Num dia em que descia do monte, quando grande multidão O seguia, um homem leproso aproximou-se e pediu: Senhor, se quiseres, podes purificar-me. E Jesus, estendendo a mão, tocou-lhe, dizendo: Quero, fica limpo! E imediatamente ele ficou limpo da sua lepra. (Mt. 8.2-3)

Curado pelo poder da Palavra!

Jesus quer curar você também, arrancando as raízes do seu passado atribulado, cheio de lembranças amargas. Lembre-se de que o problema da mulher que andava encurvada teve seu início dezoito anos antes que ela se encontrasse com Jesus. Todavia, o tempo não foi e não é impedimento para Jesus; a Sua Palavra é poderosa para libertar e para curar.

Mulher, estás livre... livre do complexo de inferioridade; livre do medo de achar-se feia; livre da discriminação; livre da zombaria; livre de não considerar-se mais mulher e, sim, apenas um traste inútil e desprezível.

Sei que suas emoções estão mais machucadas do que seu corpo. A alma está encurvada pela amargura e pelo ressentimento; isso resulta em sofrimento intenso que a leva a andar acabrunhada e encurvada, sem esperança de libertação e de cura dos traumas de outrora.

No entanto, esse não é o pensamento de Deus a seu respeito. Ele quer que cada um de Seus filhos ande de cabeça erguida, livre das consequências infelizes do passado; livre para ser alguém de valor; livre para viver sem as dores da alma e das emoções feridas.

Você está livre do mal, porque Jesus enviou a cura pelo imenso poder de Sua Palavra. VOCÊ É PROPRIEDADE DO SENHOR.

E assim, se alguém está em Cristo, é nova criatura; as coisas antigas já passaram; eis que se fizeram novas. (2Co. 5:17)

E Jesus completa Sua mensagem, dizendo:

Vinde, benditos de meu Pai. (Mt. 25:34)

Você está livre. Você está curado das feridas do passado. Você é uma nova criatura pelo poder da Palavra!


Extraído do livro Liberto das feridas do Passado de autoria Dr. Silmar Coelho
Por Litrazini
Fonte:http://www.reflexoesevangelicas.com.br 

domingo, 19 de agosto de 2012

Entre o Pecado e o Perdão


Nós vivemos num mundo que chora e geme. Que chora e range os dentes (Mt.25:30.). E quando nós fomos resgatados do pecado, resgatados das trevas (isto deve ir contra a convicção de muita gente boa - e má - da igreja), não houve a imediata transformação de nossa natureza má e pecaminosa. Continuamos com nosso egocentrismo, nossa vaidade, e nossa perversidade no centro de nosso ser. Com uma diferença: autorizamos o Espírito de Deus a agir em nossa alma, em nosso espírito, em nosso modo de ser, agir e sentir.
Isto é de uma importância sem igual, mas acredito que não esteja sendo muito bem compreendida pelos que freqüentam conosco uma das Igrejas de Cristo.
Primeiro é necessário termos uma idéia do que seja "pecado". Normalmente nos é transmitida a idéia de que pecado é algo que vai acarretar um castigo, uma pena, uma retribuição. O que nem sempre é verdade.
"Pecado", no sentido que vai ser explorado nesta oportunidade, é uma ruptura, um bloqueio, um impedimento que se forma. Um abismo que impede a comunicação entre as partes. Existem três tipos de pecados, classificados de acordo com a pessoa do ofendido: pecados cometidos contra o Senhor nosso Deus, contra a Igreja e contra nossos irmãos.
Normalmente as pessoas tem a idéia de que "pecado" são apenas aqueles atos de extremamente gravidade. Tipo homicídio, seqüestro e estupro.
Normalmente se prega que pecado é "uma transgressão à lei de Deus", ou que é algo que"não procede de fé". Concordo e ensino que tudo isto é pecado. Mas, existem pecado que não se enquadram nessa conceituação. Lembra da parábola da festa de casamento (Mateus 22)? O rei mandou convidar pessoas para o casamento do príncipe. Ele não ordenou, então, de acordo com a corrente noção de pecado, eles não cometeram pecado. Mas foram destruídos. E os convidados que se apresentaram na festa, não foram intimados para se trajarem de acordo. Mas teve um que foi expulso porque não estava trajado a contento.
Pecado, é mais do que uma simples transgressão à lei de Deus. Pecado é mais do que um ato que não provenha de fé. É tudo que cria uma barreira, uma ruptura, um bloqueio entre nós e Deus. E essa barreira precisa ser quebrada, essa ruptura precisa ser consertada, esse bloqueio precisa ser retirado para que o Espirito de Deus possa voltar a agir, para que nossas orações possam ser ouvidas (e respondidas), para que nossos olhos possam voltar a ver, para que nossa alma volte a sentir o toque do Espirito.
Esse conserto, essa religação, a queda das barreiras, a retirada dos impedimentos é chamada de"perdão".
Infelizmente pecado não some, não desaparece, não morre, não vira pó e nem evapora, como muitos da igreja pensam...
Há um pequeno, mas crucial, fundamental detalhe entre o pecado e o perdão: é o arrependimento. Sem arrependimento não se chega, não se consegue, não se obtém, não se alcança o perdão.
É por isso que Esaú não encontrou perdão, mesmo que com lágrimas o tenha buscado (Heb.12:17).
Esse é o problema que milhares dezenas de cristãos do mundo todo (e de milhões de não-cristãos): querem o perdão, a reconciliação, querem de volta o que perderam com os erros e pecados, mas sem que tenham que atravessar essa "ponte" chamada arrependimento.
Não tem sentido perdoar quem não pecou, e quem não reconhece o pecado que cometeu, também não vê sentido em se arrepender.
Há os que reconhecem o pecado, o erro, a ruptura, mas não se arrependem. Se pudessem voltar no tempo, fariam tudo de novo, e do mesmo jeito. E o perdão, então, é apenas UM RESULTADOque se aspira, e se deseja. Mas não se persegue. O arrependimento está entre o pecado e o perdão.


"Arrependei-vos, pois, e convertei-vos, para que sejam apagados os vossos pecados, de sorte que venham os tempos de refrigério, da presença do Senhor." (Atos 3:19)



Autor: Takayoshi Katagiri
Fonte: http://www.estudogospel.com.br

O Evangelho Para os Evangélicos


Você sabe o que realmente significa dizer: 'Sou Evangélico!'?

E conhecereis a verdade, e a verdade vos libertará. Se, pois, o Filho vos libertar, verdadeiramente sereis livres. João 8:32 e 36.

A verdadeira graça procede de Jesus, por isso não se precisa afirmar a graça ao lado de Cristo, pois sem Cristo não há graça. E graça é favor imerecido, ou seja, “é Deus dando e fazendo tudo a quem nada merece.” É o “cordeiro que foi imolado desde a fundação do mundo”, que é o precipitador e mantenedor de toda graça. É por isto que não podemos falar Cristo e a graça, porque sem Cristo não há graça. Também não podemos dizer só Cristo mais a fé, porque sem Cristo não há fé. Não podemos dizer só Cristo mais as Escrituras, porque as Escrituras concorrendo com Jesus esquizofreniza a mente, por isso o que nós precisamos é só de Jesus. As Escrituras Sagradas serão realmente entendidas verdadeiramente quando lida a partir do Verbo Encarnado. Porque muitos enganadores têm saído pelo mundo fora, os quais não confessam Jesus Cristo vindo em carne; assim é o enganador e o anticristo. 2 João 1:7.

Quando esta conclusão entra em nosso coração, há uma revelação que simplifica o olhar na vida e também radicaliza até mesmo as essências de nossas decisões. Quando temos esta visão, perceberemos que não há mais barganhas a fazer e não precisaremos mais de conluios com o cristianismo. Irmãos, este “cristianismo” instituído nos ofereceu praticamente mais de 1700 anos de bruxaria desde o imperador Constantino e não parou com a reforma protestante. Por isso nós não podemos nem ficar com o lado protestante do cristianismo, que nada mais é do que uma versão grega, polida, e de um catolicismo que fez literalmente dieta. Isto fez com que trouxessem para o cristianismo vários pacotes de doutrinas e preceitos de homens. Marcos 7:7 E em vão me adoram, ensinando doutrinas que são preceitos de homens.

Doutrinas e mandamentos de homens fazem com que o evangelho se torne aguado e com isto criam absolutos que relativizam a Verdade insofismável da Palavra de Deus. Por isso, o próprio protestantismo está sob juízo. E esse movimento que nós chamamos de evangélico, essa hidra, essa besta de muitas cabeças, tem tudo, menos o Evangelho. Hoje o que se anuncia é o anti-evangelho, aliás, é o outro “evangelho”. Paulo já havia nos advertido sobre este assunto. Mas, ainda que nós ou mesmo um anjo vindo do céu vos pregue evangelho que vá além do que vos temos pregado, seja anátema. Gálatas 1:8.

O que se anuncia hoje dentro das igrejas é pura macumba e o “deus” que está instaurado é mamon. O altar é aquele no qual as pessoas se ajoelham com expectativa de receber diante de Deus alguma benção, se puser grana e se participar das campanhas. Todas elas são baseadas na obsolescência do Antigo Testamento. Muitas delas são baseadas em Gideão, Sansão, Jefté, Davi, Abraão, na pancadaria, na maldição etc. Porque eles sabem que no Espírito do Novo Testamento não dá para sobreviver com isso que eles chamam “igreja”. Irmãos amados, precisamos definitivamente estar e permanecer casados com o Evangelho da graça de Deus. Porque fora do Evangelho só há barganhas. Hoje a preocupação dos “crentes” é tão somente com as coisas terrenas e não as celestiais. Qual será o fim disto? A resposta, infelizmente é a perdição. Pois muitos andam entre nós, dos quais, repetidas vezes, eu vos dizia e, agora, vos digo, até chorando, que são inimigos da cruz de Cristo. O destino deles é a perdição, o deus deles é o ventre, e a glória deles está na sua infâmia, visto que só se preocupam com as coisas terrenas. Filipenses 3:18-19.

Hoje os crentes estão se apresentando diante de Deus e da sociedade com uma carteira de identidade de boa conduta, que significa um purismo interior hipócrita. Eles são puros sim, mas puros aos seus próprios olhos, mas não são puros diante do Senhor da glória. Eles nunca foram puros, mas se consideram puros. Que tragédia! Há daqueles que são puros aos próprios olhos e que jamais foram lavados da sua imundícia. Provérbios 30:12.

Não há barganhas a fazer com o cristianismo, com sua hiper valorização ideológica, política, com seu culto aos bens, ao poder, ao status. A grande maioria está anunciando de modo politicamente correto o evangelho, mas desses púlpitos de oráculos magificados pela superstição e pela paganidade da religião de infantes perdidos. O que tem se pregado hoje não é o evangelho, mas uma mistura de doutrinas estranhas que sufocam as pessoas. Não creio que seja evangelho o que se diz com nome de evangelho. Também não creio que se esteja pregando a Jesus, quando se fala o nome de Jesus. Irmãos não podemos nos deixar confundir por nenhuma dessas coisas, porque se o conteúdo não for exclusivamente do evangelho, podem banhar o “cristo” de purpurina, pois a esse “cristo” diremos: “Arreda em Nome de Jesus. O fundamento da igreja é Cristo Jesus o Senhor e não há outro. Porque ninguém pode lançar outro fundamento, além do que foi posto, o qual é Jesus Cristo. Edificados sobre o fundamento dos apóstolos e profetas, sendo ele mesmo, Cristo Jesus, a pedra angular; 1 Coríntios 3:11 e Efésios 2:20.

Portanto, se vier qualquer outro evangelho, vestido de qualquer coisa, mesmo que chegue até nós cheios de terminologias que já conhecemos, mas se negar o fundamento e a essência da graça de Deus de que já está tudo feito, pago, realizado, consumado por Jesus, não é o evangelho. O apóstolo Paulo reitera em Gálatas 1:9 Assim, como já dissemos, e agora repito, se alguém vos prega evangelho que vá além daquele que recebestes, seja anátema.

Sob a recomendação de Paulo eu afirmo em Nome de Jesus que, o que se instituiu a nossa volta é anátema, é abominação. E quem quiser andar em conluio com isso, saiba, está caminhando de mãos dadas com a pior feitiçaria já inventada na terra. Tudo isso está sendo praticado blasfemamente em nome de Jesus e provoca essa grande fraude em nome do evangelho. Eles tornaram o termo igreja em algo que define um agrupamento de assaltados pelos assaltantes mais sofisticados, venais e calhordas que já surgiram na história humana. O “povo de Deus” está achando que basta cultuar a Bíblia, carregar o livro, dizer que são homens da palavra, porque carregam esse livrão que nada mais é do que um “best seller” que endinheira organizações que vivem da venda do produto sem a preocupação da absorção do conteúdo. É por isso que muitos vão para o inferno com a Bíblia e sem Jesus no coração. E disse-lhes: Ide por todo o mundo e pregai o evangelho a toda criatura. Quem crer e for batizado será salvo; quem, porém, não crer será condenado. Marcos 16:15-16.

O adágio popular diz que “uma andorinha só não faz verão”, mas quando o verão chega até as andorinhas acovardadas tem que voar, porque fica quente demais. Portanto, cada um de nós tem que decidir, ou ficamos com o caminho do clube social, ou ficamos com o caminho do Caminho. Muitos efetivamente preferem lamber e beijar o engano da religião, mas graças ao Senhor, há aqueles que já cuspiram esta maldade e estão comendo Pão da vida. Eles estão seguindo o Cordeiro por onde quer que Ele vá. Estes irão aceitar se alimentar daquilo que é puro e simplesmente Jesus. Aquilo que não é Jesus provoca uma indigestão eterna no coração. Por isso digo que reforma só acontece em templo e não em igreja. Irmãos, somos do Senhor, fomos comprador por Ele. Jesus morreu, nós morremos nEle, para sermos eternamente dEle. E ele morreu por todos, para que os que vivem não vivam mais para si mesmos, mas para aquele que por eles morreu e ressuscitou. 2 Coríntios 5:15. Amém.


Autor: Claudio Morandi
Divulgação: EstudosGospel.Com.BR


sábado, 18 de agosto de 2012

Descobrindo o Reino


Descobrir o reino é a mensagem mais importante do mundo. E deveria ser pregada por todos os discípulos de Jesus. Jesus é mal compreendido por todas as religiões, pois foi considerado um grande profeta. Ele não era profeta, ele nunca foi profeta, e nunca será. Quem de fato é Jesus? E qual a sua verdadeira missão?

Jesus veio para implantar o seu reino e não criar uma nova religião. Porém ele não se uniu a nenhum grupo religioso conhecido da época: os fariseus, saduceus, herodianos e nem foi membro do sinédrio.

Em certa ocasião Jesus perguntou aos seus discípulos: “Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam : Uns dizem: João Batista; outros; Elias; e outros Jeremias ou alguns do profetas. E a mesma pergunta foi dirigida a Pedro e ele respondeu: “Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo”. Que significa que Jesus é o Messias o Rei Ungindo, logo Jesus Cristo veio para estabelecer o seu reino aqui na terra.

Em sua primeira declaração publica que se encontra registrado no evangelho segundo Mateus: 4:17. Jesus disse “ Arrependei-vos, porque está próximo o reino dos céus”. A palavra arrependimento não é uma palavra de cunho religioso e sim de cunho psicológico, cujo significado é mudança de mente. Logo pode-se entender que o seu unico objetivo era implantar o seu reino e não criar uma nova religião, Jesus nunca foi um homem religioso e nunca compactuou e hoje também não compactua com todo esse sistema religioso criado pelos homens. Na escolha de seus discípulos, não escolheu nenhum homem religioso, pois sabia de antemão, eles daria problema, assim como a religião tem sido problemática ao longo dos séculos.

1- Considerações sobre o reino.
a- Jesus veio estabelecer o seu reino. Isaías 9:6,7.
Porque um menino nos nasceu, um filho se nos deu; o governo está sobre os seus ombros; e o seu nome será : Maravilhoso, Conselheiro; Deus Forte, pai da Eternidade, Príncipe da Paz. Para que se aumente o seu governo. E venha paz sem fim sobre o trono de Davi e o sobre o seu reino,... Logo Deus só reconhece o governo do Filho.

b- Buscar o reino é um ordem de Jesus. Mateus 6:33
Buscai, pois em primeiro lugar , o seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.


c- O reino de Deus faz parte da oração dominical. Mateus 6:9,10
Pai nosso, que estás nos céus, santificado seja o teu nome, venha o teu reino.

As pessoas religiosas oram para irem para o céu, mas as pessoas que viram o reino, oram para que o céu venha a terra.

d- Os humildes de espírito tem posse no reino. Mateus 5:3
Bem-aventurados os humildes de espírito, porque deles é o reino dos céus.

e- A mensagem do reino dever ser pregada. Mateus 10:7.
Pregamos sobre salvação, cura, libertação, prosperidade e tantos outros temas e esquecemos a mensagem mais importante de todos o tempos que é pregar sobre o reino.

E, á medida que seguirdes, pregai que está próximo o reino dos céus.

f- O reino de Deus é feito de justiça, paz e alegria. Romanos 14:17
Porque o reino de Deus não é comida, nem bebida, mas justiça, e paz, e alegria no Espírito Santo.

g- O reino de Deus é constituido de poder. 1Coríntios 4:20.
Porque o reino de Deus consiste não em palavras, mas em poder.

h- Paulo preso em Roma pregava sobre o reino. Atos 28:23
Desde manhã até à tarde, lhes fez uma exposição em testemunho do reino de Deus.

i- Jesus não virá enquanto o evangelho do reino não for pregado a todos. Mt 24:14
E será pregado este evangelho do reino por todo mundo, para testemunho a todas as nações. Então, virá o fim.

j- O passaporte para o reino é nascer de novo. João 3:3.
Em verdade, em verdade te digo que se alguém não nascer de novo não pode ver o reino de Deus.

k- Onde está o reino? Lucas 17: 20,21.
Não vem o reino de Deus com visível aparência: Nem dirão: Ei-lo aqui ! Ou: Lá está ! Porque o reino de Deus está dnetro de vós.

l- O pai nos agradou de nos dar o seu reino.Lucas 12:32
Não temas, ó pequenino rebanho, porque o vosso Pai se agradou em dar-vos o seu reino.

Conclusão: Mateus 13:19.
A todos os que ouvem a palavra do reino e não a comprendem vem o maligno e arrebata o que lhes foi semeado no coração, este é o foi semeado à beira do caminho.

Só quem vê o Rei Jesus é que comprende o Seu reino
e deixa de ser uma pessoa religiosa



Autor: Antonio Magnani 
Divulgação: EstudosGospel.Com.BR