terça-feira, 9 de outubro de 2012

Como posso manter a minha esperança no meio da adversidade?




... Foi-me dado um espinho na carne, a saber, um mensageiro de Satanás para me esbofetear, a fim de não me exaltar. Acerca do qual três vezes orei ao Senhor para que se desviasse de mim. E disse-me: A minha graça te basta, porque o meu poder se aperfeiçoa na fraqueza. De boa vontade, [...] Porque quando estou fraco então sou forte. (2 Co. 12:7-10)

Você já se sentiu ignorado por Deus? Você já se perguntou por que os outros são abençoados, enquanto o Senhor continua a permitir sofrimento, desilusão e sofrimento em sua vida?

A Escritura registra as histórias de crentes fiéis, que foram capazes de manter sua esperança em meio a circunstâncias dolorosas. O apóstolo Paulo é um exemplo perfeito. Ele conheceu perseguição, espancamentos, julgamentos injustos, prisão e doença, entre outras frustrações. Vamos explorar o que ele descobriu sobre elevar acima da adversidade.

A realização na vida não depende de nossas circunstâncias.

Uma mudança no cenário nunca vai trazer alegria duradoura.

Algumas pessoas acreditam que o contentamento pessoal está ligado às nossas circunstâncias. Consequentemente, quando se tornam frustradas com a vida, elas podem abandonar o trabalho, vender a casa, se divorciar do cônjuge, ou comprar um carro novo. Um pouco mais tarde, elas começam a se sentirem insatisfeitas novamente.

Paulo descobriu que o “segredo” para o contentamento não era encontrado nas coisas, mas em uma Pessoa.Não digo isto como por necessidade, porque já aprendi a contentar-me com o que tenho.

Sei estar abatido, e sei também ter abundância; em toda a maneira, e em todas as coisas estou instruído, tanto a ter fartura, como a ter fome; tanto a ter abundância, como a padecer necessidade. (Fp. 4:11-12). Como crentes, encontramos alegria em nossa relação com o Senhor, e não em nossas circunstâncias.

Deus pode nos mostrar como estar satisfeitos, independentemente das nossas circunstâncias, se confiarmos Nele. Quando não encontramos a nossa alegria no Senhor, nós vamos passar a maior parte do nosso tempo tentando melhorar as condições (escapar das provas) em vez de servir a Cristo

A graça de Deus é mais que suficiente para qualquer coisa que encontrarmos.

Paulo saiu de sua casa e família para plantar igrejas em ambientes hostis, e, como resultado, ele foi perseguido, preso, apedrejado e deixado para morrer. No entanto, de alguma forma ele estava contente.

A chave para avançar na adversidade é vê-la como sofrimento por amor a Cristo.

Paulo compreendeu seu propósito na vida, trazer glória a Deus pela pregação do evangelho. Portanto, tudo o que aconteceu com ele no processo de obedecer a Deus foi realmente por causa de Cristo. Ele escreveu:

“Pelo que sinto prazer nas fraquezas, nas injúrias, nas necessidades, nas perseguições, nas dificuldades, por amor de Cristo, pois quando sou fraco, então, é sou forte” (2 Coríntios 12:10).

Como a missão de Paulo na vida, o seu é glorificar a Deus através da propagação do evangelho de Jesus Cristo. Isso não significa necessariamente que você vai servir a Deus em tempo integral vocacionalmente. Mas quando você se torna consumido pelo Seu chamado, tudo terá um novo significado. Você começará a ver todas as facetas da sua vida, incluindo a dor, como um meio através do qual Deus pode trabalhar para trazer outros para ele.

Deus pode optar por atrasar a sua libertação para que Ele possa usar o seu sofrimento por amor a Ele, agora ou no futuro.

A graça de Deus é suficiente para o que você está enfrentando.

Se você se aproximar Dele, o sofrimento acabará por dar frutos espirituais em sua vida e na vida dos outros. Como parte do plano divino do Pai, você pode experimentar a esperança e a alegria, independentemente das circunstâncias.



Pr. Aldenir Araújo
Adaptado por Litrazini
http://www.kairosministeriomissionario.com/
http://www.reflexoesevangelicas.com.br 

Postar um comentário