domingo, 30 de junho de 2013

O Preparo do Pregador e da Sua Mensagem


Introdução

Pregar o evangelho é o serviço mais elevado no mundo, e portanto não é tão fácil exercê-lo fielmente como muitos pensam. Este esboço não é destinado ao fim de resolver, nem abordar todos os assuntos, mas simplesmente apresentar vários aspectos que o pregador deve lembrar cada vez que prepara e faz uma pregação. E ninguém pode dizer que já alcançou perfeição nesta parte, pois nem o pregador mais experiente vai pensar que não há mais lugar para aperfeiçoar no seu modo de preparar e expor a preciosa palavra de Deus.

Este esboço se divide em quatro partes: 
(1) O preparo espiritual do pregador, 
(2) A preparação da mensagem, 
(3) A apresentação da mensagem, e 
(4) Um resumo de conselhos gerias.

I. O preparo espiritual do pregadorÉ o requisito indispensável na pregação da palavra de Deus.

A. Tem que ter O TESTEMUNHO DA GRAÇA DE DEUS operando em sua vida.1. O começo é a sua conversão.

a. A Bíblia fala dos que usam a palavra de Deus para satisfazer sua avareza (II Ped. 2:1-3).
b. Nesses casos, a palavra de Deus se torna em instrumento do diabo para subversão dos que realmente crêem.

2. Precisa também ser chamado por Deus para pregar.
a. Nem todos são chamados, como nem todos eram apóstolos (I Cor. 12:29).
b. Fidelidade no que Deus tem nos colocado é o mais importante.
c. Pode-se distinguir 3 chamadas diferentes que Deus faz em relação ao semear das palavra:

1º) O testemunho pessoal que é o dever de todo membro da igreja, seja mulher, homem, moço ou velho. Isso se faz com as palavras que falamos e o modo de agirmos.

2º) O episcopado (I Tim. 3:1) é uma chamada especial, para a qual nem todos são qualificados, pois aquele que ocupa o lugar de pastor local é sujeito a exigências mais rigorosas do que Deus espera dos outros.

3º) O evangelista (Atos 21:8 / Ef. 4:11) também prega e ensina a palavra mas não como pastor da igreja.d. Portanto, o homem que prega deve ter firme convicção da sua chamada, sendo tão convencido disso quanto à sua própria salvação.3. Deve mostrar a graça de Deus na sua vida de cada dia. A sua vida tem que reforçar a sua fala.

a. Uma vida inconsistente tira a força da palavra do pregador.
b. Ele pode chegar a ponto de destruir seu ministério e tornar-se inútil na pregação do evangelho. Nossas ações falam mais alto do que a nossa voz.

B. O pregador tem que reconhecer que o poder da mensagem fica na presença do Espírito Santo, e não em si mesmo.
1. Portanto, exige-se bastante oração e comunhão com Cristo através do Espírito Santo.

2. O pregador deve entregar a Deus tudo que se refere à mensagem: seu conteúdo, seu sucesso, seus efeitos. O importante é que o pregador se esqueça de si mesmo, e apresente Cristo.

3. Lembre-se de que toda glória sempre pertence a Deus, e Ele não permite que outros tomem para si essa glória. Quando eu estava começando a pregar, sempre que saísse bem a pregação e eu começasse a pensar que eu era alguma coisa, sem falta, a próxima mensagem saía muito mal. Assim eu fiquei muito humilhado perante o Senhor, e aprendi a sempre das a Ele toda glória, e também todas as falhas, confiando que Ele vai tomar os sucessos e as falhas e usá-los para engrandecer o Seu nome.4. Esta dependência do Espírito Santo não elimina a necessidade de estudar e preparar a mente. A pregação espiritual é o resultado duma preparação tanto de coração como de mente.

Autor: Pastor Edgar Potter 
Divulgação: estudosgospel.Com.BR 

Postar um comentário