quinta-feira, 5 de julho de 2012

Para o Fantástico, pastor Custódio, da Adhonep perdoou seu sequestrador





O fundador do CEI (Centro Evangelístico Internacional) e presidente da Adhonep ( Associação de Homens de Negócio do Evangelho Pleno), pastor Custódio Rangel (Foto), que faleceu nesta terça-feira, dia 03, em suas últimas entrevistas testemunhou o perdão e a Graça, através do amor prático e ações, ao se reencontrar com Ronaldo Monteiro, ex - presidiário, acusado de 10 sequestros, entre os quais o dele.

Na entrevista dada a Patrícia Poeta, da Rede Globo, Custódio relembrou a história de Ronaldo Monteiro, que planejou seu sequestro e assassinato. A tentativa foi frustrada. Cinco meses após ser preso pela polícia, Custódio foi a prisão e falou do amor de Deus, manifestando o perdão. A palavra de esperança transformou a vida de Monteiro que aceitou Jesus. “Jesus amou a todos. Tinhamos quem fazer alguma coisa. Uma boa pescaria era trazer o Ronaldo para Jesus e aconteceu isto.”

Após cumprir 13 dos 28 anos, Ronaldo recebeu liberdade condicional e recebeu o primeiro emprego com carteira assinada do presidente da Adhonep. Por dois anos trabalhou diretamente com Custódio, e deixou o emprego para coordenar uma ONG que qualifica ex-presidiários. “O amor as vidas é muito maior, foi o mesmo que levou seu Custódio a ter encontro com seu algoz. Hoje dedico a minha vida à realizar um pouquinho do ato que o senhor realizou toda sua vida: de acreditar que o homem pode mudar”, finalizou Monteiro.

Fonte: movimento gospel 
Postar um comentário