quinta-feira, 21 de junho de 2012

LIÇÕES BÍBLICAS DO 3º TRIMESTRE DE 2012




No 3º Trimestre de 2012, estaremos estudando, através das Lições Bíblicas da CPAD, sobre o tema: “VENCENDO AS AFLIÇÕES DA VIDA”. As lições serão comentadas pelo pastor Eliezer de Lira e Silva. Foram divididas nos seguintes temas:

Lição 01 – No Mundo Tereis Aflições
Lição 02 – A Enfermidade na Vida do Crente
Lição 03 – A Morte para o Verdadeiro Cristão
Lição 04 – Superando os Traumas da Violência Social
Lição 05 – As Aflições da Viuvez
Lição 06 – A Despensa Vazia
Lição 07 – A Divisão Espiritual no Lar
Lição 08 – A Rebeldia dos Filhos
Lição 09 – A Angústia das Dívidas
Lição 10 – A Perda dos Bens Terrenos
Lição 11 – Inveja, um Grave Pecado
Lição 12 – As Dores do Abandono
Lição 13 – A Verdadeira Motivação do Crente
Lição 14 – A Vida Plena nas Aflições
************************************

VENCENDO AS AFLIÇÕES DA VIDA

“Muitas são as aflições do justo, mas o Senhor o livra de todas”(Salmo 34:19).

Aflições da vida, uma certeza bíblica aos crentes. Certeza esta anunciada pelo próprio Jesus: “... no mundo tereis aflições ...”(João 16:33). Paulo, como fiel discípulo de Jesus, não rejeitou esta certeza, e disse: “E não somente isto, mas também nos gloriamos nas tribulações ...” (Rm 5:3). Paulo, não apenas aceitou para si as tribulações, como também ensinou os obreiros, seus companheiros de Ministério, a aceitá-las. Escrevendo a Timóteo, disse: “Sofre pois, comigo, as aflições como bom soldado de Jesus Cristo” (2Tm 2:3).

Portanto, crer em Deus e viver em retidão não isenta ninguém de problemas e aflições nesta vida. Pelo contrário, a dedicação a Deus, amiúde, nos traz provações e sofrimentos(ver Mateus 5:10). Está dito da parte de Deus que por muitas tribulações devemos entrar no seu Reino(At 14:22; cf 1Co 15:19; 2Tm 3:12).

Uma vez cumprido o propósito de Deus ao permitir a aflição, Ele passa a nos livrar dela, ou pela intervenção sobrenatural direta nesta vida, ou pela morte triunfante e o ingresso na vida futura(cf Hb 11:35-37).

Deus, às vezes, usa o sofrimento para testar a nossa fé, para ver se permanecemos fiéis a Ele. A Bíblia diz que as provações que enfrentamos são “a prova da vossa fé”(Tg 1:3); elas são um meio de aperfeiçoamento da nossa fé em Deus(ver Dt 8:3). É nosso dever reconhecer que uma fé autentica resultará em “louvor, e honra, e glória na revelação de Jesus Cristo(1Pe 1:7).

Deus emprega as aflições, não somente para fortalecer a nossa fé , mas também para nos ajudar no desenvolvimento do caráter cristão e da retidão. Segundo vemos nas cartas de Paulo e Tiago, Deus quer que aprendamos a ser pacientes mediante o sofrimento(Rm 5:3-5). Na aflição, aprendemos a depender menos de nós mesmos e mais de Deus e da sua graça(ver 2Co 12:9). É nosso dever estar afinados com aquilo que Deus quer que aprendamos através da aflição ou tribulação.

Deus também pode permitir que soframos dor e aflição para que possamos melhor consolar e animar outros que estão a sofrer(ver 2Co 1:4). É nosso dever usar nossa experiência advinda do sofrimento para encorajar e fortalecer outros crentes.

Deus pode usar, e usa mesmo, as aflições dos justos para propagar o seu reino e seu plano redentor. Por exemplo: toda injustiça por que José passou nas mãos dos seus irmãos e dos egípcios fazia parte do plano de Deus “para conservar vossa sucessão na terra e para guardar-vos em vida por um grande livramento”(Gn 45:7). O principal exemplo que podemos mencionar aqui é o sofrimento de Cristo, “o Santo e Justo”(At 3:14), que experimentou perseguição, agonia e morte para que o plano divino da salvação fosse plenamente cumprido. Isso não exime da iniquidade aqueles que o crucificaram(At 2:23), mas indica, sim, como Deus pode usar o sofrimento dos justos pelos pecadores, para seus propósitos e sua própria glória.

Hoje, em algumas Denominações ditas Evangélicas, há uma tendência de não falar em tribulação ou aflição; talvez para não desencorajar as pessoas. Preferem falar apenas de coisas agradáveis ao ouvido do homem natural, tal como riquezas, saúde e prosperidade. O Senhor Jesus, e também Paulo, falavam das tribulações, dos sofrimentos, das aflições. Os que preferem falar só de coisas agradáveis, se esquecem, ou não sabem, que tribulações, sofrimentos, aflições constituem uma promissão bíblica para os crentes.

Muitos, por má fé ou por ignorância da Palavra de Deus, ao convidar as pessoas para virem à Igreja, acenam com falsas ilusões, usam uma “propaganda enganosa”, afirmando que todos os seus problemas serão resolvidos, que todas as enfermidades ou doenças serão curadas e que elas desfrutarão as bênçãos da riqueza e da prosperidade. Esquecem, ou não sabem, que o Plano de Deus, na Pessoa bendita de Seu Filho Jesus, não era e não é transformar a vida aqui na Terra num paraíso.
Nós cremos num Deus que tudo pode e num Evangelho que é “... o poder de Deus para salvação de todo aquele que crê ...”(Rm 1:16), e que o homem salvo pode sentir alegria até mesmo nas tribulações, nos sofrimentos, nas aflições. É neste sentido o ensino de Pedro: “Amados, não estranheis a ardente prova que vem sobre vós para vos tentar, como se coisa estranha vos acontecesse. Mas alegrai-vos no fato de serdes participantes das aflições de Cristo, para que também na revelação da sua glória vos regozijeis e alegreis”(1Pedro 4: 12-13).

Não precisamos ter medo de prevenir, até mesmo os novos convertidos, sobre a necessidade de suportar as aflições da vida, na certeza de que as veneremos em nome Jesus Cristo.


Luciano de Paula Lourenço

Postar um comentário