domingo, 18 de março de 2012

Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas

Machu Picchu, a cidade perdida dos Incas:
 

Machu Picchu (em quíchua MachuPikchu, "velha montanha"), também chamada "cidade perdidados Incas", é uma cidade pré-colombiana bemconservada, localizada no topo de uma montanha,a 2400 metros de altitude, no vale do rio Urubamba, atual Peru.Foi construída no século XV, sob as ordens de Pachacuti.O local é, provavelmente, o símbolo mais típico do Império Inca, quer devido à sua original localização ecaracterísticas geológicas,quer devido à sua descoberta tardia em 1911.Apenas cerca de 30% da cidade é de construção original, o restante foireconstruído. As áreas reconstruídas são facilmente reconhecidas, pelo encaixeentre as pedras. A construção original é formada por pedras maiores, e comencaixes com pouco espaço entre as rochas.
Consta de duas grandes áreas: a agrícola formadaprincipalmente por terraços e recintos de armazenagem de alimentos; e a outra urbana,na qual se destaca a zona sagrada com templos,praças e mausoléus reais.
A disposição dos prédios, a excelência do trabalho e o grande número deterraços para agricultura são impressionantes, destacando a grande capacidadedaquela sociedade. No meio das montanhas, os templos, casas e cemitérios estãodistribuídos de maneira organizada, abrindo ruas e aproveitando o espaço comescadarias. Segundo a histórica inca, tudo planejado para a passagem do deus sol.
O lugar foi elevado à categoria de Patrimônio mundial da UNESCO,tendo sido alvo de preocupações devido à interação com o turismo por ser um dos pontos históricos maisvisitados do Peru.
Há diversas teorias sobre a função de Machu Picchu, e amais aceita afirma que foi um assentamento construído com o objetivo desupervisionar a economia das regiões conquistadas e com opropósito secreto de refugiar o soberano Inca e seu séquito mais próximo, no caso deataque.
Pela obra humana e pela localização geográfica, Machu Picchu éconsiderada Patrimônio Mundial pela UNESCO.
Foi o professor norte-americano Hiram Bingham quem,à frente de uma expedição da Universidade de Yale, redescobriu eapresentou ao mundo Machu Picchu em 24 de julho de 1911. Este antropólogo,historiador ou simplesmente, explorador aficcionado da arqueologia, realizouuma investigação da zona depois de haver iniciado os estudos arqueológicos.Bingham criou o nome de "a Cidade Perdida dos Incas" através de seuprimeiro livro, Lost City of the Incas. Porém, naquela época, ameta de Bingham era outra: encontrar a legendária capital dos descendentes dos IncasVilcabamba,tida como baluarte da resistência contra os invasores espanhóis,entre 1536 e 1572. Ao penetrar pelo cânion do Urubamba,Bingham, no desolado sítio de Mandorbamba, recebeu do camponês Melchor Arteagao relato que no alto de cerro Machu Picchu existiam abundantes ruínas.Alcançá-las significava subir por uma empinada ladeira coberta de vegetação.
Quando Bingham chegou à cidade pela primeira vez,obviamente encontrou a cidade tomada por vegetação nativa e árvore. E tambémera infestada de víboras.
Embora céptico, conhecedor dos muitos mitos queexistem sobre as cidades perdidas, Bingham insistiu em ser guiado ao lugar.Chegando ao cume, um dos meninos das duas famílias de pastores que residiam nolocal o conduziu aonde, efetivamente, apareciam imponentes construçõesarqueológicas cobertas pelo manto verde da vegetação tropical e, em evidenteestado de abandono há muitos séculos. Enquanto inspecionava as ruínas, Bingham,assombrado, anotou em seu diário: “Would anyone believe what I have found?(Acreditará algém no que encontrei?”


Sunset across Machu Picchu.jpg 

 
Vista da cidadela de Machu Picchu em1911. 

Depois desta expedição, Bingham voltou ao lugar em 1912 e, nos anosseguintes (1914 e 1915), diversosexploradores levantaram mapas e exploraram detalhadamente o local e osarredores.
Suas escavações, não muito ortodoxas, em diversoslugares de Machu Picchu, permitiram-lhe reunir 555 vasos, aproximadamente 220objetos de bronzecobreprata e de pedra, entre outrosmateriais. A cerâmica mostra expressões da arte inca e o mesmo devedizer-se das peças de metal: braceletes, brincos e prendedores decorados, além de facas e machados.Ainda que não tenham sido encontrados objetos de ouro, o materialidentificado por Bingham era suficiente para inferir que Machu Picchu remontaaos tempos de esplendor inca, algo que já evidenciava seu estilo arquitetônico.
Bingham reconheceu também outros importantes gruposarqueológicos nas imediações: Sayacmarca, Phuyupatamarca, a fortaleza de Vitcose importantes trechos de caminhos (Caminho Inca), todos elesinteressantes exemplos da arquitetura desseimpério. Tanto os restos encontrados como as evidências arquitetônicas levam osinvestigadores a crer que a cidade de Machu Picchu terminou de ser construídaentre fim do século XV e início do século XVI.
A expedição de Bingham, patrocinada não somentepela Universidade de Yale como também pela National Geographic Society, foiregistrada em uma edição especial da revista, publicada em 1913, contendo umtotal de 186 páginas, que incluía centenas de fotografias.


 
O recinto curvo do Templo do Sol ou Torreón 

 
A estrutura connhecida como Templo Principal 

 
Intihuatana: "calendário" solar

 
Vista do Conjunto 9 ou das Três Portadas sobre três níveis de terraços frente à praça principal 

Fonte: wikipédia 
Postar um comentário