terça-feira, 20 de março de 2012

O CACHORRO E O COELHO

O CACHORRO E O COELHO:
Eram dois vizinhos. Um deles comprou um Coelhinho para os filhos. Já os filhos do outro pediram um bichinho maior, um Cachorrinho Pastor Alemão. Papo entre eles (os vizinhos):

- Mas o seu cachorro vai comer o meu coelho!

- De jeito nenhum. Imagina... O meu pastor é filhote. Vão crescer juntos, pegar amizade... Pode acreditar em mim, pois eu entendo de bicho!

E parece que o dono do chachorro tinha mesmo razão. Juntos cresceram e amigos se tornaram... Era normal ver o coelho no quintal do cachorro e o cachorro, vive-versa.

Eis que o dono do coelho foi passar o final de semana na praia com a família e o coelho ficou só.

Domingo, à tardinha, o dono do cachorro e a família tomavam um lanche, quando entra o pastor alemão na cozinha. Pasmo, trazia o coelho entre os dentes, todo imundo, arrebentado, sujo de terra e, é claro, completamente morto.

Quase mataram também o cahorro de tanto agredí-lo. Dizia o homem:

- O vizinho estava certo, e agora? Só podia mesmo dar nisso!

O problema maior é que os vizinhos iam chegar em algumas horas, o que fazer? Todos se entreolharam...

O cachorro, coitado, chorando lá fora, e lambendo os seus ferimentos.

- Já pensaram como vão ficar aquelas crianças?
De repente, não se sabe exatamente quem teve a boa idéia, mas parecia infalível: "Vamos banhar o coelho, deixá-lo limpinho, depois a gente seca com o secador de cabelos e o colocamos na sua casinha."

E assim fizeram. Até perfume colocaram no animalzinho. "Ficou lindo! Parece até estar vivo" (disse uma das crianças).

Logo depois, ouvem o barulho dos vizinhos chegando... Instantes depois, notam os gritos da gurizada:

- Vixe! Descobriram!

Não passaram nem cinco minutos e o dono do coelho veio bater à porta, assustado (com cara de quem tinha visto um fantasma).

- O que foi? Que cara é essa?

- O coelho, o coelho...

- O que tem o coelho?

- Morreu!

- Como assim, morreu? Eu o vi vivinho da silva ainda hoje...

- Pois é, e ele morreu desde sexta-feira!
- Na sexta?

- Sim, e foi antes de viajarmos, as crianças até o enterraram no quintal e agora REAPARECEU!

A história termina aqui. O que aconteceu depois não importa... Mas o grande personagem dela é o Cachorro. Imagine o coitado, desde sexta-feira procurando em vão pelo seu amigo de infância. Depois de muito farejar, descobre o corpo morto e enterrado. O que faz ele... provavelmente como o coração partido, desenterra o amigo e vai mostrar para seus donos (imaginando que pudessem fazê-lo ressuscitar). Mas o ser humano continua o mesmo, sempre julgando os outros... Julgando mesmo sem antes verificar o que de fato aconteceu.

Quanta vezes tiramos conclusões precipitadas e erradas de situações? Nos achamos sempre os donos da verdade... e às vezes fazemos os outros sofrerem por nosso injusto e desastroso julgamento. Pense nisso!

A vida tem quato sentidos: " Amar , Sofrer, Lutar e Vencer", então, AME muito e SOFRERÁS pouco, LUTE bastante e VENCERÁS sempre... mas jamais julge diante da primeira visão que tiver ou do primeiro comentário que ouvir...

Silvana Lacerda
Postar um comentário