sábado, 24 de março de 2012

(título desconhecido)

(título desconhecido):


1. Qual é a natureza e o propósito da geografia e arqueologia bíblica?
Elas revelam evidências que positivamente confirmam a veracidade Bíblica
A geografia é uma ciência e todas as ciências podem e devem ser utilizadas como suportes teóricos ao entendimento dos conteúdos da mensagem bíblica
Como as narrativas bíblicas aconteceram em tempo e espaço e com pessoas reais, a geografia bíblica auxiliará na apreciação, compreensão e interpretação do cenário bíblico.
O estudo da geografia bíblica é imprescindível aos estudos das escrituras, pois torna os textos mais vividos e inteligíveis em sua percepção visual e espacial.
Da correlação entre os personagens envolvidos na trama textual e os espaços em que ocorreram as suas ações, podemos extrair valiosos elementos interpretativos que contribuirão grandemente no entendimento da mensagem bíblica. .
A geografia bíblica, como não poderia deixar de ser, deverá focalizar sempre as suas atenções para elementos cartográficos: os mapas.
A palavra arqueologia vem de duas palavras gregas, archaios e logos, que significam literalmente: um estudo das coisas antigas. No entanto, o termo se aplica, hoje, ao estudo de materiais escavados pertencentes a eras anteriores. A arqueologia bíblica pode ser definida como um exame de artefatos antigos outrora perdidos e hoje recuperados e que se relacionam ao estudo das Escrituras e à caracterização da vida nos tempos bíblicos. A arqueologia é basicamente uma ciência. O conhecimento neste campo se obtém pela observação e estudo sistemáticos, e os fatos descobertos são avaliados e classificados num conjunto organizado de informações. A arqueologia é também uma ciência composta, pois busca auxílio em muitas outras ciências, tais como a química, a antropologia e a zoologia. Naturalmente, alguns objetos de investigação arqueológica (tais como obeliscos, tempos egípcios e o Partenon em Atenas) jamais foram perdidos, mas talvez algum conhecimento de sua forma e/ou propósito originais, bem como o significado de inscrições neles encontradas, tenha se perdido.
2. Qual é a contribuição da geografia e arqueologia bíblica?
. A Geografia Bíblica da noção de tempo e espaço, relacionados aos fatos bíblicos que ocorreram em momentos e lugares específicos.
A arqueologia auxilia-nos a compreender a Bíblia. Ela revela como era a vida nos tempos bíblicos, o que passagens obscuras da Bíblia realmente significam, e como as narrativas históricas e os contextos bíblicos devem ser entendidos. A Arqueologia também ajuda a confirmar a exatidão de textos bíblicos e o conteúdo das Escrituras. Ela tem mostrado a falsidade de algumas teorias de interpretação da Bíblia. Tem auxiliado a estabelecer a exatidão dos originais gregos e hebraicos e a demonstrar que o texto bíblico foi transmitido com um alto grau de exatidão. Tem confirmado também a exatidão de muitas passagens das Escrituras, como, por exemplo, afirmações sobre numerosos reis e toda a narrativa dos patriarcas.
3. Quais seriam as causas da influência negativa das religiosidades de outras nações sobre a vida do povo hebreu?
Deus é o único e Supremo monarca do seu povo Ele fez promessas a Abrão Isaque Jacó e José. Deixou o povo de Israel cativo no Egito, Tirou o povo do Egito Entregou à lei para Moiseis, cumpriu sua promessa levando o povo para Canaã.
Eles são os escolhidos de Deus para influenciar o mundo e não serem influenciados pelas as religiosidades dos povos essas influencias religiosas só acarretarão no adiamento do cumprimento das promessas de Deus para com as nações.
4. Será que nós, o povo de Deus hoje, sabemos refletir ou demonstrar, através da cultura em que vivemos, propósitos redentivos às pessoas que nos cercam?Sim, através do nosso estilo de vida (testemunho pessoal) Deus deixou a ciência para estudarmos e comprovarmos Sua Soberania na criação a origem do universo do homem e sua queda. Sua promessa de redenção através de seu filho Jesus Cristo filho de Davi filho de Abraão.
5. Porque a grandeza da revelação de Deus é maior que todos os sistemas religiosos criados pela humanidade, e, como poderíamos fazer uso dos exemplos de fracassos da religiosidade humana como “pontes evangelisticas”?
Deus é Deus Ele se apresenta como o Eu Sou,
Onipotente Onisciente Onipresente.
Deus é real como toda a sua criação universal Ele é vivo dinâmico. Ele é superior A qualquer tentativa humana de construir sistemas religiosos,o homem não consegue

alcançar por esforço próprio a salvação ou redimir – se, o homem precisa admitir sua incapacidade de alcançar o padrão Divino,reconhecer sua condição de perdido e crendo sinceramente no Senhor Jesus Cristo,o homem recebe a vida eterna.
A orientação de Deus em gênesis é de reprovação que legitimem o politeísmo, o dualismo, o deísmo e o panteísmo presentes nas primitivas construções religiosas da humanidade, igualmente o livro de gênesis nos traz uma afirmação da exclusividade, da unidade, da soberania e da realidade do Deus Único e Pessoal.
.
Deuses são mitologias filosofias pagãs ns idolatrias reprovadas por Deus.
alcançar por esforço próprio a salvação ou redimir – se, o homem precisa admitir sua incapacidade de alcançar o padrão Divino,reconhecer sua condição de perdido e crendo sinceramente no Senhor Jesus Cristo,o homem recebe a vida eterna.
A orientação de Deus em gênesis é de reprovação que legitimem o politeísmo, o dualismo, o deísmo e o panteísmo presentes nas primitivas construções religiosas da humanidade, igualmente o livro de gênesis nos traz uma afirmação da exclusividade, da unidade, da soberania e da realidade do Deus Único e Pessoal.
Deuses são mitologias filosofias pagãs ns idolatrias reprovadas por Deus.
1ª Igreja Batista de Sobradinho
Classe: Integração II Instrutor: Lincoln Máximo
26/10/2004
DEUS Adão
Caim
Abel
Sete Enos Cainã Maalaleel Jerede Enoque Metusalém Lameque Noé
1 Geração morta no dilúvio
1 Noé
Sem (semitas)
Jafé
Cam
DILÚVIO
Mizraim Filisteus = terra de Golias
Arfaxade Salá Héber Pelegue Réu Serugue Naor Terá
Naor
Harã
Abrão

2
Magogue
2 Abrão
(Abraão)
Ismael
Isaque
Pai dos Árabes
Palestina hoje
Esaú
Jacó
(Israel)
Edomitas
12 Tribos
Rúbem
Simeão
Levi
Judá

Naftali
Gade
Aser
Issacar
Zebulom
José
Benjamim
Efraim
Manassés
(Arão, Moisés)
(Davi, Jesus Cristo)
(Sansão)
(Saul, Paulo)
(Gideão, Jefté)
(Josué, Débora)
Enoque Irade Meujael Metusael Lameque
Asiáticos
Resumo de Gênesis
Geração que foi para o
Egito = 70 pessoas
430 anos depois Moisés
comandou a saída em
direção à terra prometida
com mais de 600 mil
pessoas
outros filhos
e filhas
* Foram colocados somente os nomes mais relevantes.
Cada descendente teve vários filhos e filhas.
* Todos os povos de hoje, descendem das famílias dos três filhos de Noé.
Postar um comentário