domingo, 3 de junho de 2012

Veja Entrevista Pr Silas Malafaia


Tive uma boa surpresa hoje quando abri a revista Veja hoje no ônibus, voltando de Sorocaba. Lá estava na página 23, o Pastor Silas Malafaia todo sorridente com a Bíblia na mão, soltando o verbo com vontade de A a Z. Falando da Igreja Assembleia de Deus da Penha, prosperidade na vida cristã, oferta, dízimo, preconceito contra pastores evangélicos, ativismo gay, avanço dos evangélicos em todas as classes sociais brasileiras - principalmente na classe "C", implante de cabelo, projeto de implantação de 5000 Igrejas nos próximos 10 anos, exorcismo, riqueza pessoal, salário de pastores, política e o papel dos religiosos em assuntos nacionais.  Para quem não acompanha o discurso do Pastor vai encontrar muitas novidades.

Conhecedor dos esforços do Pastor Silas, desde o início dos anos 90s, as respostas à entrevista concedida ao jornalista  Pedro Dias Leite, não tem nenhuma novidade, a não ser a honra de ser um dos poucos pastores/bispos brasileiros que chegam até ali sem ser protagonista de escândalo ou preconceito religioso. De minha parte, até aqui, entre prós e contras, estou satisfeito e  não tenho do que me envergonhar de ser um pequeno contribuinte de seu ministério. E contribuo de duas formas: com críticas a sua  forma meio desbocada de pregar e também financeiramente.

Veja  fez a introdução afirmando que o Pastor  é um dos mais respeitados televangelista brasileiros, com 30 anos de programas na televisão brasileira e vice-presidente do CINEB - Conselho Interdenominacional de Ministros Evangélicos do Brasil - entidade que congrega mais de  8.500 pastores.

Perguntado sobre o avanço dos evangélicos  na população brasileira, o Pastor respondeu que a grandeza do Evangelho esta no fato dele poder ser praticado lá fora e não uma liturgia de duas horas dentro de um templo. O Pastor Silas também mencionou os padres da Ala Carismática da Igreja Católica, certamente pelas causas comuns, principalmente o combate ao aborto.

Veja pontuou que a Igreja Evangélica é muito eficiente tanto em atrair quanto manter seus fiéis no rebanho, em contraponto ao velho problema da Igreja Católica que tem muitos adpetos apenas nominais -  não praticantes.

Depois o entrevistador foi direto ao ponto e questionou sobre a ganância de arrecadação dos pastores evangélicos. O Pastor começou sua resposta constatando a existência de um preconceito miserável [pelos formadores de opinião] contra os evangélicos. Para essa gente, os crentes são descritos com um bando de idiotas, tapados, semianalfabetos e manipulados por espertalhões decididos a arrancar tudo do  bolso daqueles. O pastor não negou a existência desses "bandidos", como também ponderou que  há malandros  em todas as instituições brasileiras - inclusive na Igreja Evangélica. Citou nominalmente o bispo Edir Macedo na sequência, mas afirmou categoricamente que  é um erro achar que todo ofertante da Igreja Universal é imbecil ou idiota.  O crente contribui porque se sente abençoado na Igreja.

O Pastor Silas, continuando sobre o mesmo assunto, afirmou que não há no Brasil nenhuma outra instituição que recupere mais pessoas na sociedade do que a Igreja Evangélica.

Sobre o assunto mais polêmico, o Pastor também foi categórico: O Brasil não é um país homofóbico. Criticou os ativistas gays que procuram polemizar para continuar vivendo das mamatas do governo. Concluiu dizendo que a pretensão do projeto de lei  da homofobia é colocar uma mordaça na sociedade.

Quando perguntado sobre um projeto que propõe a descriminalização do uso de drogas que vai chegar no mês de junho ao Congresso Nacional o pastor criticou: "Espero que o Senado e Câmara joguem fora esta porcaria. Perderam o juízo. Não existe lógica em liberar o consumo de drogas e penalizar o traficante. Então eu estou desconfiado de que vai vir um marciano para vender drogas aqui. Olhe a hipocrisia!"

- O Senhor pensa em entrar para a política? Perguntou o repórter.

-Nunca serei candidato a nada... Mas quero influenciar pessoas. Votei duas vezes no Fernando Henrique, duas vezes no Lula, depois votei no José Serra. Não satanizo partidos políticos nem candidaturas.





João Cruzué
Fonte: Olhar Cristão
Crédito da foto: Site Verdade Gospel.





Postar um comentário