sexta-feira, 24 de fevereiro de 2012

REFLEXÕES

Duas vizinhas viviam em ‘pé de guerra’. Um dia, dona Maria descobriu o verdadeiro valor da amizade e resolveu fazer as pazes com dona Clotilde. Ao se encontrarem, muito humildemente, dona Maria disse: “Minha querida Clotilde, já estamos nessa desavença há anos, sem motivo aparente. Vamos acabar com isso e fazer as pazes”. Clotilde estranhou a atitude da velha rival e disse que iria pensar.

E foi matutando: “Essa Maria não me engana. Deve estar querendo me aprontar alguma coisa. Vou mandar um presente e ver a reação dela. Preparou uma cesta coberta com um lindo papel de presente, mas dentro encheu de esterco. “Adoraria ver a cara dela ao receber esse ‘maravilhoso’ presente!”. E mandou a empregada entregar na casa da rival, com um bilhete dizendo: “A sua proposta de paz está aceita”. Alguns dias depois, Clotilde abriu a porta e recebeu uma linda cesta, também coberta de papel. “É a vingança daquela asquerosa”, pensou Clotilde. “O que será que ela me aprontou?”.

Ficou surpresa ao abrir a cesta e ver que estava cheia das mais belas flores que podiam existir. E com um cartão com a seguinte mensagem: “Estas flores eu ofereço em prova de amizade. Elas foram cultivadas com o esterco que você me mandou, que foi um excelente adubo para o meu jardim”.

Autor desconhecido
Postar um comentário