segunda-feira, 30 de abril de 2012

Os crentes têm conferido na Bíblia se há verdade nas pregações que eles ouvem?



Muita gente tem sido acostumada a não ter a Palavra do Senhor como guia para sua vida, mas sim a interpretação que seu líder dispõe. O apóstolo Paulo, assim que saiu de Filipos, foi para Bereia. Lá, encontrou uma comunidade cristã que o recebeu, e, como o próprio apóstolo julgou, de forma muito mais nobre que os habitantes de Tessalônica. Vale lembrar que o acontecimento que antecedeu a chegada de Paulo e Silas a Bereia foi o grande agir de Deus que rompeu com as grades da prisão e conduziu o carcereiro e sua família aos pés de Cristo (algo certamente muito mais milagroso que o próprio terremoto).

O que Paulo havia considerado de tão nobre? As ofertas recebidas? A requintada casa de campo onde ficou hospedado? O magnífico templo construído com mármore importado da península itálica? O cavalo de fina linhagem que lhe foi colocado a disposição para trafegar nas ruas de Bereia?

O que lhes tornou mais nobres que os que estavam em Tessalônica foi que “de bom grado receberam a palavra, examinando cada dia na Escrituras se estas coisas eram assim" (Atos 17.11).

São essas as instruções que os pastores têm dado as suas ovelhas? Os pastores têm dito as suas ovelhas: “confirmem se o que eu digo procede ou não da Palavra”? Eles têm ensinado isso?

A falta de leitura da Palavra de Deus tem tornado a igreja progressivamente raquítica. Há pastores que nunca leram todo o texto sagrado. Há ministros de louvores que citam letras de músicas como se elas fossem tão infalíveis quanto a Santa Palavra. Essa cultura de ignorar a Palavra de Deus tem sido a grande brecha deixada pela igreja brasileira para a inserção das mais variadas heresias e desatinos na comunidade cristã. A ideia de uma vida conduzida pelo Espírito Santo, mas sem o conhecer, é ridícula, burra e louca.

Como se pode ler no texto bíblico (Atos 16 e 17), apesar de tudo que aconteceu com Paulo e Silas, ele não viu nenhuma agressividade, nenhuma presunção ou mesmo rebeldia na igreja de Bereia por estarem buscando nas escrituras se aquilo que diziam era verdadeiro ou não. Ora, Paulo poderia ter dito: Não souberam do que aconteceu em Filipos? Não chegou a vossos ouvidos que as cadeias se romperam? Não souberam que os magistrados temeram por terem açoitado cidadãos romanos? Quem vocês pensam que são para levantar a mão contra um apóstolo do Deus vivo?

Mas Paulo só diria isso se ele fosse um pastor ou apóstolo (?) contemporâneo. Se ele fosse como as centenas de homens e mulheres mal formados e informados, temerosos por seus cargos e sua liderança, medrosos por suas posições. Sim, apenas se Paulo fosse um desses, teria considerado o comportamento dos bereanos inconveniente e indesejado.

Assim, sempre que você ouvir uma pregação, faça anotações e verifique por si só, na Palavra de nosso Senhor, se aquilo é de fato tal qual foi pregado. Busque no Senhor, tenho certeza que o Espírito Santo, que você muitas vezes espera que trabalhe no vazio, trabalhará em um coração disposto a conhecer mais de Sua Presença e Vontade.

Não questione a autoridade de seu pastor. Questione a veracidade daquilo dito pelo homem.


A-BD
Postar um comentário