sexta-feira, 27 de abril de 2012

TIATIRA A IGREJA TOLERANTE


TIATIRA A IGREJA TOLERANTE

TEXTO ÁUREO = “Não vos prendais a um jugo desigual com os infiéis; porque que saciedade tem a justiça com a injustiça? E que comunhão tem a luz com as trevas? E que concórdia há entre Cristo e Belial? Ou que parte tem o fiei com o infiel?” (2 Co 6.14,15).

VERDADE PRÁTICA = Qualquer manifestação espiritual que entre em contradição com a Palavra de Deus, é falsa.

TEXTO BIBLICO = Ap. 2: 18 – 29

INTRODUÇÃO

Satanás estava presente e ativo na Ásia quando Jesus enviou estas cartas às igrejas. Ele tinha sinagogas em Esmirna (2:9) e Filadélfia (3:9), e um trono em Pérgamo (2:13). Em Tiatira, ele tinha uma profetisa que incentivava as pessoas a conhecerem as “coisas profundas de Satanás”. Para servir a Deus num ambiente cheio da influência do diabo, o discípulo de Cristo teria que lutar e confiar em Deus, confiante da recompensa para os vencedores

Tiatira, era uma cidade localizada na Misia, região da Asia Menor, distante 80km de Smirna e considerada “santa” por causa do seu templo dedicado a Tyrinos, “deus do sol”. Na carta que Jesus enviou àquela igreja, Ele se referiu principalmente ao uso dos dons espirituais

A igreja em Tiatira (18): A cidade de Tiatira estava situada no caminho entre Pérgamo e Sardes. Atualmente, chama-se Akhisar (significa “castelo branco”), na Turquia. Lídia, a primeira pessoa convertida por Paulo na Europa, era de Tiatira (Atos 16:14), mas não temos mais nenhuma informação sobre esta igreja. O que sabemos da igreja vem das referências no Apocalipse.

A cidade de Tiatira era conhecida pela produção de púrpura, uma tinta usada em tecidos (veja Atos 16:14), além de roupas, artigos de cerâmica, bronze, etc. Havia em Tiatira grupos organizados de artesãos e profissionais, semelhantes às associações profissionais de hoje, mas com elementos religiosos de influência pagã. Como as outras cidades da época, Tiatira teve seus templos e santuários religiosos, incluíndo templos aos falsos deuses Apolo, Tirimânios e Artemis (uma deusa chamada Diana pelos romanos – veja Atos 19:34) e um santuário a sibila (orácula) Sambate. A importância de figuras femininas na cultura religiosa de Tiatira pode ter facilitado o trabalho de Jezabel, a mulher que seduzia os discípulos e incentivava a idolatria e a prostituição.

O Filho de Deus (18): Esta expressão aparece somente aqui no Apocalipse. É comum no Novo Testamento, especial-mente nos livros de João, como descrição de Jesus Cristo. Os servos fiéis são descritos, também, como filhos de Deus (veja 21:7; 1 João 3:1,2,10; 5:2; João 1:12; etc.) Aqui, a expressão obviamente se refere a Cristo.

Olhos como chama de fogo (18): Jesus tem olhos poderosos e penetrantes (veja 1:14; Daniel 10:6).
Pés semelhantes ao bronze polido (18): Ele tem força para castigar e até esmagar os seus inimigos (veja 1:15; Daniel 10:6).

UMA IGREJA ABENÇOADA PELO ESPÍRITO SANTO

A igreja em Tiatira havia experimentado muitas bên9ãos decorrentes da ação do Espírito Santo.

1. O cumprimento da promessa. Ela recebera o batismo com o Espírito Santo. No tempo dos apóstolos era comum os membros, em sua totalidade, serem batizados com o Espírito Santo (At 2.4; 8.15- 17; 10.44; 19.5,6), pois a promessa se referia a todos (At 2.39).

2. Os dons espirituais. O v. 19 do texto em estudo atesta que em Tiatira, os dons operavam, vigorosamente entre os crentes. Na igreja em Corinto, por exemplo, nenhum dom faltava (1 Co 1.7). Estas dádivas são oferecidas a todos os batizados com o Espírito Santo (1 Co 12.11), para o que for útil (1 Co 12.7) e para edificação da igreja (1 Co 14.3,12,26).

3. O uso correto dos dons. A igreja em Tiatira recebera a doutrina sobre o uso correto dos dons. Esse fato é evidenciado em que um bom número de membros reagiu e não aceitou o fanatismo que aparecera (Ap 2.24). Com este número de crentes fiéis e dispostos a manter a pureza da doutrina, Jesus podia contar.

EXAGEROS NO USO DOS DONS ESPIRITUAIS

Jesus mencionou uma mulher, membro da igreja, que havia recebido o dom de profecia, coisa inteiramente normal. Deus o dá a fim de que seja usado para edificação da igreja.

1. O perigo do orgulho. Aquela mulher, Jezabel, se deixou vencer pelo orgulho. Quando ela, no uso do dom, sentiu que Deus a abençoava, tornou-se orgulhosa. Jesus escreve que “ela se diz profetisa” (Ap 2.20). Ter o dom de profecia, não significa que alguém, por isto, seja “profeta”,’ que é um ministério da palavra, como apóstolo, evangelista, pastor, etc. (Ef 4.11). A Bíblia fala das quatro filhas do evangelista Filipe, as quais “profetizavam”. Logo em seguida é mencionado que “chegou da Judéia um profeta, por nome Agabo” (At 21.840). Observam-se aqui duas expressões distintas. As moças “profetizavam” e Ágabo era “profeta”. Em Tiatira, aquela mulher a si mesma chamava de “profeta”

2. Profecias da própria cabeça. Jezabel começou a inventar “profecias”. Ela “profetizava” dizendo que não era necessário obedecer às orientações dadas pelos apóstolos sobre a necessidade de os crentes se absterem de carne sufocada, sangue, prostituição e idolatria (At 15.20,28,29; Ap 2.20).
A Bíblia ordena que tudo deve ser examinado (1 Ts 5.21; 1 Co 14.29). Qualquer manifestação discordante da Bíblia é inteiramente falsa.

ANARQUIA NO USO DOS DONS ESPIRITUAIS

As “profecias” levianas começaram a seduzir os crentes para a idolatria e prostituição. Jesus disse que Jezabel tinha já “filhos” (Ap 2.23), isto é, seguidores, que estavam formando um grupo à sua volta. O Espírito Santo chamou aquela mulher “Jezabel” (Ap 2.20), certamente por causa da maneira como a esposa de Acabe, rei de Israel, seduzia o povo à idolatria e prostituição (1 Rs 16.30,31). Assim também aquela mulher estava causando estrago na igreja pelas suas “profecias”.

1. Jezabel e seu grupo. Jezabel formou um grupo em torno de si. Rodeada por um certo número de crentes fanáticos, Jezabel criticava a tantos quantos não “lessem por sua cartilha”, resultado que sempre acompanha o uso indevido dos dons (Mq 3.5).

2. Conseqüências do fanatismo. O fanatismo de Jezabel abriu a porta para manifestações demoníacas. Jesus mencionou que os seguidores de Jezabel até falavam “das profundezas de Satanás” (Ap 2.24). A Bíblia adverte sobre o perigo dos falsos profetas, que procuram enganar até os escolhidos (Mt 24.24). O erro de Jezabel abriu a porta para a operação de um espírito de impureza (Zc 13.2) pelo qual ela seduzia os membros da igreja para com ela se prostituírem. A Bíblia revela que existem, também, os espíritos de falsidade (Mq 2.1), de mentira (1 Ra 2.22), de adivinhações mentirosas (Ez 13.3-7). Os falsos profetas podem ser até portadores de contaminação de espiritismo e feitiçaria, embora “se encostem ao Senhor, dizendo: Não está o Senhor no meio de nós?” (Mq 3.11). Eles usavam indevidamente,o “nome do Senhor” (Jr 29.23).

O SENHOR CENSUROU O ANJO DA IGREJA

1. Convém examinar as profecias. Deus havia ordenado que se examinassem as profecias. Já no Antigo Testamento Deus costumava chamar a atenção contra os profetas que falavam para seduzir o povo e afastá-lo do Senhor (Dt 18.22).

A Bíblia diz que estas coisas acontecem porque Deus quer provar o Seu povo e saber se este o ama de todo coração (Dt 13.3). No Novo Testamento Deus ordenou: “Examinai tudo. Retende ,o bem” (1 ‘1s 5.21). “Falem dois ou três profetas e os outros julguem” (1 Co 14.29). Tudo quanto é contrário à Palavra de Deus está debaixo da maldição (Gl 1.8,9).

Era realmente uma falta muito grave ter o anjo da igreja deixado de examinar em tempo as profecias que apareciam e se espalhavam na igreja. Deus ordenou o exame das profecias para. evitar que alguém, com autoridade de uma suposta manifestação do Espírito Santo, procurasse dominar o povo. “Ninguém vos domine a seu bel-prazer... estando debalde inchado na sua carnal compreensão” (Cl 2.18).

2. O perigo da omissão. A omissão do anjo da igreja em Tiatira foi causa de desordem, O fraquejar do pastor da igreja no tocante à manutenção da boa ordem, deu a Jezabel a oportunidade de fazer-se líder.

Em primeiro lugar devemos observar que ninguém, seja homem ou mulher, jamais se torna líder por ser portador de dons espirituais. A liderança na igreja é dada por Deus através dos ministérios, enquanto que a finalidade dos dons é a edificação da igreja (1 Co 14.3) e um meio para ajudar na ,obra (Ed 5.1,2). E, portanto, um sinal de fracasso quando um servo do Senhor deixa uma pessoa, que se diz profeta, dominá-lo pelas “suas revelações” (Jr 5.31).

Com todo o respeito devido às nossas irmãs portadoras de dons e dedicadas cooperadoras na obra, às quais Deus tem dado uma missão muito elevada e, também, usado de modo extraordinário, observamos que Deus não lhes deu a posição de líderes na igreja, coisa que le reservou aos homens por Ele chamados (1 Co 14.34; 1 Tm 2.12).

3. Responsabilizado o anjo da igreja. Jesus responsabilizou o anjo da igreja pelo estado em que a igreja se achava. Reinava um clima de tribulação (Ap 2.20). Muitos já se haviam desviado, outros estavam fanatizados e os crentes sinceros sofriam. O anjo da igreja abandonara as ovelhas diante do ataque do lobo (Jo 10.12,13). Que Deus nos guarde de semelhante falta...

OPORTUNIDADE PARA ARREPENDIMENTO

Jesus deu aos crentes desobedientes a oportunidade para se arrependerem. O arrependimento é uma nova tomada de posição resultante do reconhecimento do erro cometido, com pedido de perdão e uma sincera disposição de não mais errar.

1. Jezabel convidada a arrepender-se. Jesus chamou Jezabel a arrepender-se (Ap 2.21), mas ela endureceu o coração. Embora ela houvesse prejudicado tanto aos crentes, Jesus,, contudo, estava pronto a perdoá-la, dando-lhe uma nova oportunidade. Aqui nos lembramos da lição da casa do oleiro, no livro do profeta Jeremias. Quando o vaso se quebrou, o oleiro não jogou fora, mas fez do mesmo barro outro vaso (Jr 18.1-4).

2. Oportunidade ao grupo de Jezabel. Os seguidores de Jezabel foram também chamados ao arrependimento. Embora enganados até ao ponto de cometerem graves pecados, Jesus no seu amor lhes queria perdoar e restaurar. Importava somente reconhecerem seu erro e pedirem perdão. Assim, poderiam experimentar que “tudo se fez novo’ (2 Co 5.17).

3. O arrependimento do anjo da igreja. O anjo da igreja sentiu, com certeza, grànde arrependimento. Ele sabia que Jesus o considerava responsável por toda aquela tragédia. Ele, certamente buscou a Deus, entregando-se de novo para daí em diante, com mais cuidado, amor, sabedoria e firmeza, zelar pelo cumprimento da doutrina que lhe era confiada.

SAUDAÇÃO AOS CRENTES FIÉIS

Jesus enviou uma saudação especial para os crentes que não haviam seguido a Jezabel. Eles permaneceram fiéis à doutrina que haviam recebido. Com isto se pouparam de tribulações e deram um bom exemplo aos demais. Graças a Deus pelos crentes que agem como colunas na casa do Senhor (Ap 3.12), os quais, na hora da pressão não são levados em roda por todo o vento de doutrina (Ef 4.14).

1. “O que tendes, retende-o” (Ap 2.24,25). Fiquemos firmes! Ainda que alguns errem, os dons de Deus continuam sendo reais. Retenhamos, pois, a comunhão com a nossa igreja. Coisa nenhuma deverá nos afastar dela (Hb 10.25).

2. “Até que eu venha” (Ap 2.25). Jesus virá breve. Então tudo “o que o é em parte” (1 Co 13.10) será aniquilado. Por isto fiquemos sempre firmes e constantes, sempre abundantes. O nosso trabalho não é vão no Senhor (1 Co 15.58).

3. Todas as igrejas conhecerão... (23): O castigo divino tem vários propósitos. Um destes, obviamente, é o castigo dos culpados. Neste caso, Jesus prometeu matar as pessoas que praticaram a idolatria e a prostituição, caso não se arrependessem. Mas há um segundo motivo atrás deste castigo. A morte de alguns serviria de alerta para outros. As igrejas entenderiam que Jesus realmente sabe de tudo que acontece, e que ele julga retamente segundo as obras de cada um. Observamos a importância da disciplina divina para deter o pecado dos outros. Veja alguns exemplos: Acã (Josué 7; 22:20); Ananias e Safira (Atos 5:11); A correção pública de pecadores (1 Timóteo 5:20). Nós devemos aprender as lições dos pecados do passado, e considerar as conseqüências da desobediência.

4. “Quem tem ouvidos, ouça o que o Espírito diz às igrejas”.

1. “...o que o Espírito diz...”. O leitor deve observar que essa é uma expressão que figura em todas as cartas do Apocalipse, chamando a atenção dos leitores para a solene necessidade de darem atenção às palavras inseridas neste livro. “A mulher Jezabel e seus filhos prosseguirão tal como são, mas o “resto”, o remanescente, ouvirá” (Newll). “Que todo crente dê a mais estrita atenção a essa predição feita por Cristo, e que seja ela uma influência poder.sa sobre o nosso coração e  sobre a nossa vida”. Possuímos discernimento “espiritual” e a sensibilidade necessária para “dar ouvidos” ao que foi dito’? “...se ouvirdes hoje a sua voz (como diz o Espírito Santo), não endureçais os vossos corações” (Hb 3. 7-8). Esses são os “ouvidos” de que precisamos. Se os temos, então, que os usemos!!!.

Conclusão

Jesus vê tudo e faz uma distinção absoluta entre os servos de Satanás e os servos fiéis do Senhor. Para os que insistem em servir ao diabo, ele promete tribulação e morte. Para os discípulos dele, ele promete o dia de sua presença e o privilégio de reinar com ele sobre os inimigos.

Elaboração pelo:- Evangelista Isaias Silva de Jesus
Igreja Evangélica Assembléia de Deus Ministério Belém Em Dourados – MS

BIBLIOGRAFIA

www.estudosdabiblia.net

Lições bíblicas CPAD 1989

Livro:- Apocalipse versículo por versículo – Severino Pedro da Silva


MAIS ESTUDOS VISITEM ESSE LINK


Postar um comentário