domingo, 22 de abril de 2012

Como ouvir a voz de Deus



Moisés, ouvindo a voz de Deus
João Cruzué


Sempre fui um ávido leitor de livros. Os livros falam. A princípio fui lendo de tudo. Aos 19 aceitei Jesus e passei a ler mais, principalmente os evangélicos. Estudei em Faculdade jesuíta,  na primeira metade dos 80s, tempo de distensão cuja sede pelos títulos marxistas era uma verdadeira febre. Depois, enfastiado, fiquei só comos livros evangélicos e quando  os assuntos ficaram repetitivos, fiquei seletivo e lia apenas os que me adicionariam conhecimentos novos. 

O gosto pela leitura veio de minha mãe, a professora Glória, que por sua vez aprendera com meu avô. Ela já foi estar, mas como "ficou no meu pé" para que eu abandonasse o campo e me tornasse alguém. Sei Deus fala de várias maneiras: Fala pela palavra, pela leitura bíblica diária, pelo conselho dos pais, pastores... mas também fala pelo silêncio que apenas a alma pode ouvir.


Em um país ainda com tantos analfabetos ter aprendido a ler com seis anos, foi uma grande bênção. Ter concluído um curso universitário ao custo de cinco anos de salário também foi mais uma bênção. Dois anos  de inglês. Para um jovem que se  criou e até os 18 anos em um sítio, ter conseguido estas três coisas seriam motivos de muita satisfação. Mas a quarta bênção foi muito maior: Tão logo vim para a Cidade, tive um encontro real com o Senhor Jesus aos 19 anos.


O conhecimento é algo maravilhoso, alicerçado no temor de Deus é melhor ainda. porque Deus é quem dá relevância a nossa vida e nos mostra o propósito para o qual fomos criados. Ainda que para isso, Ele possa até permitir que sejamos moídos em moendas de ferro e afinados como a prata. 

Diz a Bíblia que Deus é Pai e sabe bem como corrigir  os filhos, para que eles adquiram um caráter parecido com o dele. Quem aceita a correção e persiste na busca, conseguirá o favor sua intimidade. Isto é: Você ora e Ele responde.


Quando escrevi pela primeira vez esta mensagem tinha 50 anos. Hoje ao re-escrevê-la estou com 56. Não penso mais como há 10 anos, pois, a medida que os anos passam, posso ver uma realidade que antes não conseguia ver. Eu sei que as receitas para uma aproximação com Deus são mais teóricas que práticas, e  por isso, dá para perceber que quem não tem ainda intimidade com Deus, costuma se exibir com exageros, empáfia,  que são de pouco proveito. 

A experiência pessoal com Deus não pode ser passada por tradição.


Para ouvir a voz de Deus considero que é preciso ter pelo menos seis coisas: Fé, sede de Deus, fidelidade, comunhão, paciência e trabalho.



FÉ EM JESUS CRISTO
"Enquanto se diz: Hoje, se ouvirdes a sua voz
não endureçais o vosso coração". Hebreus 3:15

Deus, o Criador, nos amou de tal maneira que enviou seu único filho, Jesus Cristo, para nos trazer uma mensagem: O Evangelho - que significa Boas Novas. A missão de Jesus Cristo é reconciliar todos os pecadores com Deus, pagando um alto preço em resgate da vida de cada homem e cada mulher. Estes, sujeitos à condenação eterna por causa do pecado. O preço da liberdade está pago, mas para que cada pecador seja livre do senhorio do diabo, é necessário que ele tenha um encontro real com o Senhor Jesus, para aceitá-lo com salvador de sua alma e Senhor de sua vida. 

Todos os que aceitam publicamente a salvação por meio da fé em Jesus Cristo, recebem o direito de serem chamados filhos de Deus e de ter seus nomes escritos no Livro da Vida. Não há nenhum outro nome no céu, nem na terra, que possa trazer salvação e reconciliação entre um pecador e Deus, a não ser o nome do Senhor Jesus Cristo.

Se você espera ouvir a voz de Deus, deve crer, pela fé, que Deus fala, porque falou com muitos, como está registrado na Bíblia


SEDE DA PALAVRA DE DEUS
"Eis que vêm dias, diz o SENHOR Deus,
em que enviarei fome sobre a terra, não de pão, nem sede de água,
mas de ouvir as palavras do SENHOR". Amós:11

Quem aceita o Senhor Jesus como Salvador e Senhor naturalmente tem um desejo natural e profundo de compreender a vontade de Deus, que se acha disponível nas Escrituras - A Bíblia Sagrada. Esta sede de Deus e a fome pela sua Palavra é uma característica básica de um cristão sincero tanto novo quanto maduro. 


Duas coisas nos levam diante dos olhos de Deus: A oração e o tempo que passamos lendo e meditando na Palavra de Deus. Estas duas coisas, no entanto, precisam ser feitas de modo equilibrado. Não é se trancando em um quarto para ler a Bíblia e orar 24 horas por dia que você vai apressar sua maturidade espiritual. A pressa do homem não move os ponteiros do tempo de Deus.




COMPROMISSO DE FIDELIDADE
"Então, o SENHOR, do meio de um redemoinho,
respondeu a Jó: Cinge agora os lombos como homem;
eu te perguntarei, e tu me responderás". Jó 40:5-6


A característica de um cristão sincero está resumida no primeiro capítulo do Livro de Jó: "Perguntou ainda o SENHOR a Satanás: Observaste o meu servo Jó? Porque ninguém há na terra semelhante a ele, homem íntegro e reto, temente a Deus e que se desvia do mal. Integridade, retidão, temor de Deus e distância do mal. Integridade: Jó não era um homem corrupto nem era amigo de gente corrupta; retidão: entre o certo e o errado, o santo e o pecado: 

Jó seguia a justiça e a santidade; temor de Deus. Andava em justiça e retidão porque sabia que Deus abominava o pecado. Ele mantinha distância do mal. Desviava-se do mal porque não queria perder a comunhão com Deus. Quando chegou o tempo da provação,  Jó orava e reclamava da situação, sem murmurar de Deus. Foi nesse tempo que o  próprio Deus começou a falar com Jó.


Fidelidade com os companheiros de ministério e com a denominação não siguinifica, necessariamente, fidelidade com Deus. Mire-se no exemplo de Saulo de Tarso que perseguia e mandava perseguir os discípulos do Senhor, pensando fazer um bem a Deus. Estava muito enganada. O que ele tinha era apenas religião. Uma religião talhada por regras e preceitos humanos tão distanciados da verdade, que não serviram para conhecer o Messias, coisa que até os Magos do Oriente perceberam.  Pior do que não ouvir a voz de Deus, é ouvir a voz dos homens que se dizem profetas de Deus, mas estão desviados.


E muitos já chegaram ao conhecimento desta verdade, mas como seu sustento de pão vem dos cofres dessas "igrejas" continuam sendo do "fiéis" a homens reprovados por Deus. A Bíblia é muito clara a este respeito, quando diz que Deus não nos deu um espírito de covardia. E, em outro lugar, diz também que os tímidos não herdarão o Reino de Deus.


O EXERCÍCIO DA COMUNHÃO
"Adiantando-se um pouco, [Jesus]  prostrou-se sobre o seu rosto,
orando e dizendo: Meu Pai, se possível, passe de mim este cálice!
Todavia, não seja como eu quero, e sim como tu queres". Mateus 26:39.


Comunhão é ouvir mais e falar menos. É preciso ter tempo para conversar com Deus. Tempo separado para Orar. A oração nunca está completa enquanto conversamos com Deus. Depois que falamos tudo, é preciso exercitar o silêncio para aprender a ouvir.

 Aqui está o detalhe porquê existem pessoas que passam muito tempo diante do Senhor enquanto outras ficam apenas 15 minutos.

 A voz de Deus são palavras que não se ouvem com os ouvidos, mas com a alma. Em uma geração tão apressada como a nossa, isto soa muito estranho. Algumas vezes ouvir Deus falar comigo.


Deus não tem pressa, pois é onipresente. Na verdade, nós já nascemos apressados, pois nossa vida é como um sopro. Todavia, as grandes escolhas de nossa vida correm perigo por causa da pressa. Deus pode responder a oração de apenas uma palavra, mas quando se trata de comunhão, Ele quer estar conosco porque nos ama! 

Vou corrigir uma frase comum no meio evangélico, que considero incompleta: "Muita oração, muito poder". Na verdade, precisamos mudar um pouco: "Mais comunhão, mais poder de Deus." Um dos exemplos bíblicos marcantes dessa comunhão foi a presença de Deus de forma crescente na vida de Moisés, depois da  primeira visita que fez ao Faraó e tudo deu errado. A crise fez Moisés orar com mais sentimentos e Deus deseja isso. Aquela comunhão foi crescendo enquanto que, ao mesmo tempo, a confiança de Moisés também crescia. Deus falava face a face com ele.


O Pastor David Wilkerson deixou escrito suas experiências com Deus. E uma delas foi assim: No começo tudo que ele orava, Deus respondia. Anos depois, isso parou de acontecer. Ele orava, e depois pernanecia em silência. Inconformado, um dia o pastor orou com muita franqueza: Deus se não reponde mais minhas orações, como é que minha fé vai crescer? E então ele ouviu mais ou menos isso: Filho, qualquer um pode dizer que tem fé se tiver pronta respostas às orações. Mas a fé se aperfeiçoa e cresce, durante o tempo que você continua esperando com paciência o sim da vontade de Deus.




PACIÊNCIA PARA ALCANÇAR AS PROMESSAS
"E dizia a todos: Se alguém quer vir após mim,
negue-se a si mesmo, e tome cada dia a sua cruz, e siga-me".Lucas 9:23

Para chegar a ser "árvore madura" que produz muitos frutos, demanda algum tempo. Temos também uma tendência natural e ruim à presunção, isto é, quer ser aquilo que ainda não é; e pensar que já se sabe tudo. Ao estudar a história de Abrão, Moisés, Saul e Pedro uma coisa pode ser bem compreendida: Eles erraram por achavam  que sabiam mais que Deus. Não estavam ainda maduros. 

Abrão, Moisés e Pedro alcançaram o favor de Deus, porque não insistiram no erro. O rei Saul não teve a mesma sorte, pois era teimoso em fazer escolhas erradas, achando que sua vontade era a vontade de Deus.


O importante na vida cristã, já perto da maturidade, é não jogar tudo fora por falta de paciênci.  Em querer ser algo sem ter a vocação de Deus, baseando-se em palavras de homens. Não se pode trocar a visão de Deus por uma coisa inferior que aos olhos dos homens parece grande. 

Em nossos dias, quem seguiria o conselho de Paulo em Romanos 12:16 "Sede unânimes entre vós; não ambicioneis coisas altas, mas acomodai-vos às humildes; não sejais sábios em vós mesmos"?

Cada vez que ouço dizer na Igreja sobre  "seminários de liderança" "Escola de líderes, fico preocupado. Será que a liderança que ensinam ali é a mesma que Jesus ensinou aos apóstolos com uma toalha e uma vazilha de água? 



O TRABALHO COMO ATRIBUTO DE CARÁTER
"E Jesus lhes respondeu: Meu Pai trabalha até agora,
e Eu trabalho também".João 5:17

Em todas as fases de nosso crescimento espiritual Deus espera que sejamos produtivos e laboriosos. O trabalho é o atributo natural de um cristão sincero. Por outro lado, o diabo é o pai de todo ocioso. Não existe nenhum homem ou mulher na história reportada pela Bíblia Sagrada que ouviram a voz de Deus e continuaram no sono dos mortos, no ócio dos pecadores ou árvores que não produziram frutos. Quem crê verdadeiramente no Senhor tem alegria de trabalhar tanto na vida secular quanto espiritual.


Quando o profeta Samuel à casa de Jessé ungir um de seus filhos para ser o novo rei sobre Israel, não disse antecipadamente quem seria. E, por não ter ouvido ainda a voz do Senhor, diante da beleza e altura do primogênito Eliabe, o profeta quase se enganou. Todos os filhos de Jessé que estavam em casa, no ócio, foram rejeitados. David era o mais moço, estava no campo t r a b a l h a n d o. Havia, sim, uma diferença entre o caráter deles que significou a rejeição do ócio e o prêmio da unção ao trabalho. Louvado seja o nome do Senhor, que hoje, 1º de maio de 2008 - dia mundialmente comemorado como Dia do Trabalho, este atributo seja uma das principais características de um santo caráter.


Photobucket


Espero que estas palavras simples possam agradar ao Espírito Santo, e ao concluir esta leitura, você esteja sentindo algo diferente alegrando a sua alma.




Irmão João Cruzué

.

Postar um comentário